Movimentos sociais planejam fechar a Ponte da Amizade em protesto por Itaipú  - DEFESA@NET -  Kaiser Konrad  - Com informações do ABC Color
Inteligência brasileira está atenta à mobilização

O Congresso Unitário Político e Social anunciou ontem que fechará o trânsito da Ponte da Amizade como forma de protesto pela lentidão na renegociação da Itaipú. Movimentos sociais brasileiros se unirão aos paraguaios nas manifestações.

Texto completo

Para os dias 25 e 26 de março está programada a mobilização do Congresso Unitário, que reune partidos e movimentos de esquerda. A demonstração de força acontecerá em oito departamentos do Paraguai, tendo seu principal foco em Cidade do Leste. Estão previstas também a invasão de terras de agricultores estrangeiros em todo país.

“Este será o começo da mobilização para ações maiores, de forma a realizar a reforma agrária e a união nacional, conseguir a renegociação de Itaipú e aprofundar o processo democrático, disse Luis Aguayo, líder da Frente Social e Popular do Congresso Unitário.

A mobilização tem caráter de exigência e busca forçar o governo Lugo a ter uma postura mais contundente em relação ao Brasil e em apoio aos movimentos sociais. “Vamos fazer a marcha na Ponte da Amizade com os companheiros do Brasil para assentar a posição sobre a soberania energética e também a integração dos povos”, disse Aguayo.

Entre as organizações brasileiras que confirmaram presença, estão o MST, o Movimento de Pequenos Agricultores Afetados por Barragens e a Pastoral da Terra.

Agentes da Agência Brasileira de Inteligência estão atentos à mobilização e o Exército pronto para intervir no caso de uma ocupação das instalações vitais da Usina Binacional de Itaipú. Uma intervenção militar só aconteceria por ordem do Presidente da República e seria composta por duas brigadas. A tomada seria feita pela 12º Brigada de Infantaria Leve, numa ação aeromóvel, e posteriormente seria apoiada por uma das brigadas do Comando Militar do Sul.


 

Adicionar comentário