Imprimir
Categoria: Diversos
Acessos: 2159

 Por Edenilson Sana Valadão

É chover no molhado constatar que o banditismo tomou conta do Brasil. Perdemos radicalmente a noção do que é justo, honesto, ético e decente. Desabafamos na internet, nos papos de bar e de esquina; mas revelamo-nos impotentes e incompetentes nas ações, num processo que se arrasta a décadas. As bandalheiras praticadas pelos poderes constituídos são transformadas em piadas nos programas humorísticos de rádio e TV, e não nos damos conta que permitimos que morremos de rir de nossa própria desgraça.

Texto completo

O problema é que tememos as ações dos governantes, quando eles é que deveriam temer a nossa força como povo. Mas somos desunidos, sem qualquer força e presas fáceis de um sistema carcomido.

 Permitimos que os corruptos fechem todo um ciclo de maracutais e ainda por cima passem o poder aos seus herdeiros. Endossamos ações que levam desqualificados aos mais altos postos de comando da nação. Somos reféns de qualquer pequeno grupo organizado que decida falar em nome do povo brasileiro.

 Somos impotentes até nas causas que nos afetam diretamente, como a exploração cotidiana nas relações laborais. Não temos absolutamente nada de solidários, pelo contrário. Valemo-nos dos infortúnios alheios para amenizar os nossos próprios infortúnios. Antes de entregarmos nossas almas a Deus, acabamos por vendê-las ao Diabo ! E o pior de tudo: a preço vil. Queremos ser melhores que os nossos iguais, e isto nos diferencia de outros povos que lutaram por ideais igualitários, conjugados com anseios de liberdade e fraternidade.

 Somos os alicerces para que nossas leis pendam para os poderosos, para que nossa justiça seja injusta e para que tenhamos uma democracia embusteira. Aliás, devemos lutar por uma democracia para valer, participativa e de oportunidades.

 Permitimos que políticas assistencialistas transformem a miséria e pobreza em currais eleitorais. Silenciamos quando os arautos do capeta assumam o disfarce de discípulos de Deus, para sugar o sangue de seres explorados pelo sistema e pelos falsos templos religiosos.

 Quando será que deixaremos nossas inércias cívicas de lado ? Quando será que teremos a coragem suficiente para determinar os nossos destinos ? Quando será que apresentaremos os nossos atos de fé em Deus em nossas ações contra o escárnio dos poderosos ?

 Sei que o sistema é extremamente perverso e que nos sufoca com pesadas cargas de impostos, com o desemprego, com a falta de dinheiro e de tempo para nossas famílias. Mas também sei que se nada fizermos, as pessoas de bem sucumbirão e com elas os sonhos de nossos filhos, netos, bisnetos...

 Até quando perderemos os designios de nossas vidas para o banditismo uniformizado de colarinho branco ?

 Precisamos fazer algo ! Nem que seja com meia dúzia de cidadãos, mas precisamos fazer !

 Pensando nisto, é que coloco a idéia de criarmos um pequeno movimento, para mostrarmos nas ruas que somos valentes e destemidos e, mais do que tudo, pacíficos e honrados.

 Lanço a idéia de criarmos o Movimento CIDADÃOS INDIGNADOS, sem qualquer outra vinculação que não seja com as causas da retidão, honradez, solidariedade e profunda cobrança dos poderes constituídos.

 Vamos juntos ?