Jornal da Cidade - 01/10/2019 Nesta terça-feira (01), o jurista Modesto Carvalhosa declarou que a atitude de Lula em não aceitar o regime semiaberto só mostra que o ex-presidente preso prefere descumprir a lei e manter a ilusão no senso popular que o apoia, de ser um preso político e procurar refúgios na Suprema Corte.Veja a publicação na íntegra:
"Ao recusar o regime semiaberto, o que Lula faz é descumprir o que a lei determina.

Em sua “carta ao povo brasileiro”, ele não sente a menor vergonha de se dizer vítima de arbitrariedades dos procuradores e de Sergio Moro, que só o Supremo Tribunal Federal poderia corrigir.

Bem, diante de todas as barbaridades que os ministros têm perpetrado, não surpreende que a esperança do político preso repouse naquelas amarfanhadas togas.

Com a esperteza que o distingue, o velho corrupto já percebeu o caminho das pedras: se a lei é legítima, o negócio é descumpri-la, pois, ao fim e ao cabo, encontrará guarida na Corte Suprema.

Acontece que, a cada dia que passa, pelos sucessivos desgostos que padece, o povo, com a dignidade patriótica que, isso sim, o distingue, a ninguém haverá de surpreender se negar a obedecer a leis ilegítimas, assim como às decisões judiciais nelas baseadas.

Temos dito, e é preciso ressaltar, porque grande parte da mídia, da intelectualidade e do empresariado não vê ou finge não ver: o Brasil sofreu um golpe de Estado. A única diferença é que os golpistas não usaram bala nem canhão, mas se valeram de expedientes revestidos de uma falsa juridicidade.No mais das vezes, quando se pensa em golpe, o que vem à mente são tanques na rua para a deposição do Chefe do Poder Executivo.

No Brasil, não. Já que o PT não conseguiu venezualizar o País a partir do Palácio do Planalto, tratou de lograr seu intento no STF, recebendo notáveis préstimos do Legislativo e mesmo de setores da Mídia para instaurar um regime de exceção que, todavia, nasce carcomido e destinado a cair em breve, se a Lava Jato fizer o que recomenda o Professor Evandro Pontes: total exposição do resultado das investigações já!"

Adicionar comentário