Imprimir
Categoria: Forças Armadas
Acessos: 3745

 Por Ternuma Regional Brasília
Gen. Bda RI Valmir Fonseca Azevedo Pereira

Na noite de 30 de março último, testemunhamos comovidos e orgulhosos o ato público de admiração e respeito que a Maçonaria, por intermédio do Grande Oriente do Distrito Federal, prestou às Forças Armadas. Apesar da ampla difusão do evento para a mídia em geral, a Solenidade, de elevado cunho patriótico, como sói acontecer, não foi divulgada pela imprensa, que, astutamente, nem se dignou em comparecer. O Auditório Máster do Centro de Convenções Ulisses Guimarães estava engalanado, e foi o palco previlegiado para um espetáculo de empolgante brasilidade e do mais puro e sadio nacionalismo. Um grande público lotou o amplo auditório e vibrou, aplaudindo, entusiasticamente, cada fase da programação.

Texto completo

As mais altas autoridades das Lojas Maçônicas de todo o Brasil estiveram representadas no evento, numa cabal demonstração da unanimidade e da justeza da significativa deferência. Foi um belíssimo espetáculo. A oportuna e merecida cortesia foi perfeita na sua montagem e impecável na sua execução.

Presentes, as entidades homenageadas com seus Comandantes de Força à frente, as mais altas autoridades da Maçonaria, figuras do cenário político, maçons ou não, e um distinto público abrilhantaram o preito.

Foi um espetáculo cívico onde ombrearam com dignidade a sonoridade, a excelência e a virtuosidade das bandas das três Forças regidas pelo entusiasmado maestro Marden Maluff. As belas vozes do tenor Andre Vidal e da soprano Amélia Niemayer entoaram com raro brilho os mais significativos Hinos da Pátria, o Hino Nacional, o Hino à Bandeira e as vibrantes Canções e Hinos das Forças homenageadas.

Sem longos e maçantes discursos, todos os oradores foram felizes nas suas citações, e, assim, calou fundo em todos os presentes, as palavras de agradecimento proferidas pelo Exmo Senhor Comandante da Marinha em nome das Forças Armadas, que relembrou fatos e feitos nos quais ombrearam a Maçonaria e as Forças Armadas, destacando o papel de ambas as Instituições na construção da Nação Brasileira e na sua participação nos mais significativos eventos da História Nacional. Em todos aqueles momentos, por suas claras e ilibadas posições, seus representantes engrandeceram suas instituições e glorificaram a história da nação.

Ao dignificar as Forças Armadas Brasileiras a Maçonaria, como sempre, sublinhou seu alinhamento com os mesmos propósitos das Instituições Militares, postando - se junto a elas como "tropa amiga" no incentivo e na preservação da Cidadania e na defesa da Soberania Nacional.  

Seus Altos Dignatários ao usarem da palavra de elevado preito às Forças Armadas ressaltaram que a vetusta Entidade de jaez arraigadamente patriótico, compartilha com as Forças Singulares dos mesmos ideais. Não almejam qualquer benesse a não ser a convicção de que buscam cumprir com dignidade seus deveres para com a Pátria.

Ao chamar para si a elogiável iniciativa, o Grande Oriente do Distrito Federal, sob os auspícios de seu Grão - Mestre Jafé Tôrres e com o apoio das Lojas Maçônicas de todo o Brasil, demonstrou seu compromisso com a verdade e reconhece nas Forças Singulares um significativo protagonismo na história passada, atual e futura da Nação brasileira.

Conforme palavras proferidas pelo Grão - Mestre Jafé naquela Solenidade:

      - "A Marinha, o Exército e a Aeronáutica, tem um papel extraordinário no contexto da segurança nacional e a sua participação nas ocasiões decisivas da nossa história, atendendo aos anseios populares, comprova o valor de sua intervenção na manutenção da ordem e da democracia em nossa Nação.

      - É chegada a hora de agregarmos ao bojo histórico das nossas Forças Armadas a volta do civismo e do orgulho pátrio para o bem-estar de todos nós brasileiros responsáveis pela construção do Brasil do amanhã, para que no futuro nossos sucessores não nos acusem de omissos".

 Cumpre lembrar que sob o lema "da Liberdade, da Igualdade e da Fraternidade", o Grande Oriente do Brasil propugna por justiça social, pelo bem estar do povo brasileiro, e pela condução da vida pública dentro dos parâmetros da ética, da moralidade administrativa, da legalidade dos atos de gestão da coisa pública, tudo com o objetivo de prevalecer o interesse da sociedade.

Reconhecida pela lhaneza de seus objetivos, lisura, honradez, dignidade e altruísticos propósitos ao impor sua mais importante comenda nos Pavilhões das três Forças, a Maçonaria confirma - se como um dos pilares da nacionalidade.

A Solenidade, inesquecível, primou pelo tom de cordialidade e pelos largos gestos de respeito e admiração que tomaram conta de todos os presentes. Um espetáculo visual ilustrou flashes mesclados das atividades das três Forças. Com a calorosa participação do público foram entoados hinos e canções.

Ontem, mais do que uma troca de gentilezas, assistimos a uma demonstração, de que nem tudo está perdido, que ainda persistem, teimosamente, homens e Instituições que acreditam no futuro democrático da Nação.

Ao final, uma emocionante Saudação à Bandeira encerrou com chave de ouro a impecável noite cívica. 

Ontem, ganhamos todos.

O Brasil, com certeza, mais do que as Forças Armadas, foi de fato e de direito o grande Homenageado.

Brasília, DF, 01de abril de 2009