Imagem da casa de Evo Morales em Cochabamba, que foi invadida após sua renúncia, em 10 de novembro de 2019 — Foto: Associated Press

Casas foram incendiadas, lojas foram saqueadas e gangues foram às ruas em La Paz e Santa Cruz; não se sabe quem assumirá o poder.
Por G1 - 11/11/2019 10h57 Atualizado há 5 minutos

 
Imagem da casa de Evo Morales em Cochabamba, que foi invadida após sua renúncia, em 10 de novembro de 2019 — Foto: Associated Press
Casas foram incendiadas, lojas foram saqueadas e gangues foram às ruas durante a noite de domingo (10) para segunda (11) nas cidades de La Paz, a capital da Bolívia, e Santa Cruz, depois que Evo Morales renunciou à presidência.Logo após o pronunciamento de Evo, multidões comemoraram a sua renúncia. Foi mais tarde que ataques, aparentemente de retaliação, começaram.

Segundo o jornal "El Deber", o comandante geral da polícia, Vladimir Yuri Calderón, renunciou nesta segunda-feira (11) após os incidentes violentos.Um vídeo difundido entre os bolivianos mostra pessoas dentro da propriedade do próprio Evo com grafiti, depois que ele voou para outra parte do país.

Figuras importantes da oposição e o acadêmico Waldo Albarracin publicaram em redes sociais que suas casas foram incendiadas por apoiadores de Evo.A casa de uma jornalista da Televisão Universitária também foi queimada.

O jornal “La Razon” descreve que várias partes da cidade de La Paz amanheceram com rastros “de uma noite de terror”, e diz que a polícia esteve ausente e demorou para entrar em ação.

Em alguns bairros, os vizinhos organizaram piquetes e barricadas de contenção.

Houve ataques a pátios de ônibus –em uma das centrais, 33 veículos viraram cinzas.

Em Santa Cruz, o chefe da polícia, Miguel Mercado, disse que algumas “hordas e grupos de vândalos” saíram à noite para causar pânico na população, de acordo com o jornal “El Deber”.

Adicionar comentário