Imprimir
Categoria: Política interna
Acessos: 133


DOIS PESOS E DUAS MEDIDAS NA GUERRA REVOLUCIONÁRIA QUE SE TRAVA NO BRASIL
VAlte(Ref) Sergio Tasso Vásquez de Aquino
Se qualquer pessoa disser que os “SEIS DO STF” são feios, muito provavelmente será processado. Carlos Bolsonaro, deputado, com imunidade parlamentar que lhe concede o direito de emitir livremente opinião sobre quaisquer assuntos, desde que não ofensiva à moral e aos bons costumes, referiu-se “en passant” à possibilidade de aplicação do AI-5 como forma de conter as graves ameaças de subversão da ordem que pairam sobre o País. Foi o que bastou para que o mundo viesse abaixo, sendo levantada a hipótese até mesmo de ser-lhe imposta a pena de cassação do mandato!



Enquanto isso, o “demolidor do futuro de Garanhuns’’, recém solto da cadeia por decisão da maioria do STF, em comício no Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo, transmitido ao vivo e em cores, com toda a publicidade, pelas emissoras de televisão e meios de comunicação outros, chamou o Ministro Moro de “canalha”, os membros do Ministério Público da Operação Lava Jato, Dallagnol à frente, de “quadrilha”, o Presidente Bolsonaro de ‘’Presidente dos Milicianos”, além de incentivar seus seguidores a “passarem ao ataque” e a “seguirem o exemplo do que hoje ocorre no Chile’’ em nossa terra! E ‘’no pasó nada”, como se diz na língua dos hermanos Castro, de Chê Guevara, de Hugo Chávez, de Nicolás Maduro e de Evo Morales, ídolos da esquerda radical na América Latina e no Brasil, tudo sendo encarado até agora como se dentro da mais perfeita normalidade...


Os frutos plantados pelos idealizadores e condutores do processo da Constituição de 1988, predominantemente de esquerda, estão sendo colhidos nestes dias. Ao longo do período desde então, direitos tiveram primazia sobre deveres, estimularam-se as divisões na sociedade, os ódios e as lutas de classe, ganharam corpo e ampla difusão os conceitos gramscianos de quem combate o comunismo é “fascista”, quem se opõe à corrupção generalizada e pretende que os corruptos vermelhos e de todos os matizes sejam processados e presos é ‘’antidemocrático”, enquanto “democráticos e heróis da liberdade” são os que lutaram, de armas na mão, guerrilheiros e terroristas, para impor a tirania vermelha em nossa terra.


Os desafios a serem vencidos, para a implantação definitiva da Democracia e da Paz Social no Brasil, partem dos partidos e agrupamentos da esquerda radical de toda natureza, da infiltração planejada e programada de reitores, diretores, professores de orientação vermelha nas escolas de todos os níveis, e de caudatários da mesma perversa ideologia nas direções, redações, corpos de reportagem e de comentaristas dos órgãos de comunicação de massa, televisivos, radiofônicos, jornais, revistas e periódicos. Agravando sobremaneira a situação, tem-se a postura anti Operação Lava Jato, que pela vez primeira em nossa História levou os criminosos ricos e poderosos à beira dos tribunais e à prisão, de grande parte dos membros das Duas Casas do Congresso Federal, envolvidos em investigações, inquéritos e processos, daí a aprovação a toque de caixa da Lei do Abuso de Autoridade, tendendo a absolver culpados e a punir os agentes responsáveis funcionalmente pela defesa da ética e da moralidade no âmbito de todas as operações a cargo do Estado e no seu relacionamento com empresas e outros entes do direito privado e países e organizações estrangeiras.

A recentíssima decisão da maioria de 6x5 do STF, que foi elevada à condição de impor sua vontade à Nação, contrariando o que vigia até 2009 e a própria decisão do mesmo tribunal, prolatada em 2016 e seguida em sucessivos julgamentos naquela corte desde então, no sentido de mandar soltar os presos já condenados em segunda instância, para que ficassem em liberdade até o julgamento final da quarta instância, depois de esgotados todos os recursos possíveis, apresentados por advogados muito caros, é mais um fator retardador e eventualmente prescritor da vontade da maioria expressiva da Nação, e do conceito democrático basilar de que “todos são iguais perante a Lei”.

Não há como não se ficar preocupado quanto ao futuro. E agora? Será tudo absorvido passivamente? Tentarão os agentes do caos incendiar o País, “como ocorre no Chile”? Que rumos estão reservados ao Brasil, ao seu Povo e às suas Instituições?

AS PESSOAS PATRIOTAS E DE BEM TÊM DE SER FORTES, FIRMES, PERSEVERAR NO BOM COMBATE EM DEFESA DA PÁTRIA, COM CORAGEM, BRAVURA E DETERMINAÇÃO!
Rio de Janeiro, RJ, 12 de novembro de 2019