Jornal da Cidade - 28/11/2019
Estamos vendo muita discussão em torno da prisão em 2ª instância.Mas você sabe o porquê da discussão?

É importante você saber que tudo isso está sendo feito para inviabilizar a prisão em 2ª instância, com o falso argumento que só a PEC é segura...

A prisão em 2ª instância pode ser alterada de 3 maneiras:

-por Projeto de Emenda Constitucional (PEC), alterando a Constituição.
- por Projeto de Lei (PL), alterando o Código de Processo Penal.
- ou por ambos, que pra mim é o melhor dos mundos.
E qual a diferença?

Como você pode perceber a alteração tem um propósito: a prisão em 2ª instância.

Os defensores da PEC acham que é mais seguro mudar a Constituição... que isso iria causar menos questionamentos no STF (o que não é verdade, já que algumas propostas querem alterar uma cláusula considerada pétrea... o que isso sim seria questionado)

Mas a maior diferença está no tempo de aprovação e na quantidade de votos necessários!

Uma PEC tem o trâmite muito mais demorado e precisa de aprovação de 3/5 do Senado e da Câmara.

Já o Projeto de Lei, se houver boa vontade, poderia ser aprovado rapidamente esse ano já que é muito mais rápido e precisa de 50% mais um voto na Câmara e no Senado.

Ou seja: o tal acordo entre os presidentes da Câmara e do Senado que firmaram o entendimento que o melhor para o Brasil é a modificação por PEC na verdade é uma tentativa de inviabilizar a vontade da população!

Essa proposta demorará muito mais para ser votada e precisa de muito mais votos para isso.



O ideal é aprovar o PL agora e a prisão em 2ª instância já entrar em vigor para depois, por PEC, alterar a Constituição como querem os presidentes da Câmara e do Senado.

Portanto, ACORDE!! ESTÃO TE ENROLANDO!!

(Texto de Flavia Ferronato. Advogada)

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência do Jornal da Cidade Online doando qualquer valor. Acesse: apoia.se/jornaldacidadeonline

PRISÃO EM 2ª INSTÂNCIA

Adicionar comentário