Fernando Batalha e demais,

Eu vivi naquela época. Conheci as perturbações de antes de 1964: greves na Central do Brasil, agitações na Petrobras, paralisação dos portos do Rio de Janeiro e Santos, e muitas outras. Vi o Brasil sendo transformado (gradativamente) em uma republiqueta comunista, para se igualar a uma Cuba ou às ditaduras comunistas da Europa Oriental. Os ditadores assalariados de Moskow diziam "república democrática", mas nem eles sabiam o que era democracia.

Fui um dos muitos Brasileiros, com B maiúsculo, que ansiavam por um movimento libertador. E a libertação começou em 31 de Março de 1964, pelas mãos do General Olympio Mourão Filho. O regime que foi implantado no Brasil, e que os comunas chamavam de "ditadura militar", jamais tolheu minha liberdade.

Viajei várias vezes entre Maceió, Recife, Salvador e Natal. Jamais as forças da repressão prejudicaram minha liberdade de ir e vir. A única vez em que fui abordado, certa vez, foi no meu embarque, no aeroporto em Maceió, com destino ao Recife. Já haviam ocorrido vários sequestros de aviões, que foram desviados para Cuba. A Polícia Federal estava executando uma revista sistemática nos passageiros, como prevenção. Como eu não usava armas nem estava envolvido em atividades subversivas, nunca fui preso e sempre desfrutei de ampla liberdade.

Porém, após a chamada "redemocratização", por várias vezes estradas foram bloqueadas e prédios públicos foram ocupados pelos que antes criticavam o "regime militar". Os cidadãos de bem tinham sua liberdade prejudicada pelos que se diziam "democratas". Assumiam indevidamente o poder de decidir quem podia ou não podia passar.

E ninguém podia reclamar, para não ser agredido pelos pseudodemocratas. Hoje querem se dizer vítimas! Na realidade, as vítimas foram os diversos cidadãos assassinados pelos terroristas. E até hoje, nenhum teve peito para assumir o que fez. Infelizmente, mataram, roubaram, aterrorizaram, e ainda foram indenizados pelo Estado, como prêmio pelos crimes cometidos. Nenhum deles tem moral para criticar o regime pós 1964.

Tenham vergonha e fiquem calados, falsos democratas!


Carlos José Pedrosa

Em sex., 31 de jan. de 2020 às 22:20, <Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.> escreveu:

Faço questão de encaminhar pela perfeição da forma e riqueza de conteúdo. Ao Tony Nardini, merecidos parabéns pela autoria e ao Benedicto pela difusão !
Batalha

Adicionar comentário