Abril vermelho começa com atos em Pernambuco e Bahia, onde BR-101 foi bloqueada - Por Letícia Lins e Tássia Correia* - O Globo
RECIFE e SALVADOR. Com invasões a um engenho, em Pernambuco, e à sede da Secretaria estadual de Agricultura, em Salvador, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) começou ontem o abril vermelho, em memória do Massacre de Eldorado de Carajás, onde 19 pessoas foram mortas, em 17 de abril de 1996, no Pará. Em Recife, cerca de cem famílias ocuparam de manhã o Engenho General, em São Lourenço da Mata, a 22 quilômetros de Recife. Em Salvador, cerca de 800 manifestantes ocuparam de manhã as instalações da Secretaria de Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária (Seagri).

Texto completo

Segundo a coordenadoria regional do MST em Pernambuco, a ocupação do engenho deu início à "Jornada nacional de lutas por reforma agrária", que irá até o dia 17. Segundo o coordenador do acampamento, Cícero Oliveira, no fim da tarde as famílias no local já somavam mais de 150.

Os sem-terra informaram em nota que o engenho pertence ao complexo da usina Tiúma, do Grupo Votorantim. Mas a empresa informou que a sede da indústria e as terras já foram vendidas pela família Ermírio de Morais. Mais tarde, o Sindicato da Indústria do Álcool e do Açúcar informou que a Tiúma e seus engenhos foram vendidos em 2005 à Usina São José, que fica no município de Igarassu, a 30 quilômetros de Recife.

A usina Tiúma foi desativada há mais de 15 anos e, desde então, seus engenhos vêm sendo disputados por movimentos sociais que realizam ocupações de terra em Pernambuco. A empresa informou ainda que o engenho tem 350 hectares, e não 400, como afirmou o MST.

- Por enquanto, a gente só está acampado. Mas, a partir de amanhã (hoje), vamos começar a discutir a substituição dos canaviais pelo plantio de nossas lavouras - afirmou o coordenador do acampamento.

Em Salvador, a ocupação da secretaria também não tem prazo para terminar. Entre as reivindicações do MST está a aquisição de terras pelo estado para realização de reforma agrária e para obras de infraestrutura, como rodovias e escolas, nos acampamentos. Integrantes do movimento também bloquearam de manhã a rodovia BR-101, no Km 694, entre Eunápolis e Itagimirim. O bloqueio acabou por volta de 15h.

* Da Agência A Tarde

Adicionar comentário