-

Castello Branco - Passaria a se chamar Rodovia Carlos Marighella.

Raposo Tavares - Passaria a se chamar Rodovia Dandara.

Anhanguera - Passaria a se chamar Rodovia Tupi.

Bandeirantes - Passaria a se chamar Rodovia Guarani.

Infelizmente você não leu errado! É isso mesmo…

Justificativa para o infâme PL

Segundo Giannazi, a mudança se faz necessária, na medida em que estas quatro rodovias paulistas homenageiam personalidades “históricas que se destacaram pela perseguição a minorias e pela violência“:

“[O projeto de lei] busca promover o revisionismo histórico necessário neste momento de tendência mundial de recuperar a memória e a verdade dos fatos ocorridos na formação nacional”, diz o projeto.

O deputado só esqueceu de dizer quem de fato é Carlos Marighella, um comunista extremista que pregava o extermínio de integrantes das Forças Armadas e da polícia. Ingressou na militância política durante a faculdade, filiou-se ao Partido Comunista Brasileiro (PCB) e chegou a ser deputado federal (1945), porém perdeu seu mandato quando o partido foi posto na ilegalidade.

Lado Obscuro de Marighella

Extremista, Marighella fez oposição ao Estado Novo de Getúlio Vargas. Depois de perder sua mandato como deputado, passou a atuar na militância clandestinamente e fundou a Ação Libertadora Nacional (ALN), organização de orientação comunista que cometia atos criminosos como assaltos, sequestros e ações terroristas.

Em parceria com o Movimento Revolucionário 8 de Outubro (MR-8), foi um dos responsáveis pelo sequestro do embaixador norte-americano no Brasil, Charles Elbrick.

Ou seja, um comunista, terrorista, criminoso e responsável por inúmeras mortes.

Como pode um parlamentar ter a indecência e a cara de pau de apresentar um projeto como este? Certamente, deve estar com tempo sobrando para pensar em baboseiras como tal.

Adicionar comentário