Mourão sobe o tom sobre 'baderneiros' e detona Celso de Mello -  Jornal da Cidade - 

“Não é admissível que, a título de se contrapor a exageros retóricos impensadamente lançados contra as instituições do Congresso e do Supremo Tribunal Federal, assistamos a ações criminosas serem apoiadas por lideranças políticas e incensadas pela imprensa. A prosseguir a insensatez, poderá haver quem pense estar ocorrendo uma extrapolação das declarações do presidente da República ou de seus apoiadores para justificar ataques à institucionalidade do País”, disse o general em artigo publicado no Estadão.

Segundo Mourão, é forçar demais a ‘mão’ em associar mais um episódio de violência e racismo nos Estados Unidos à realidade brasileira.

“Como também tomar por modelo de protesto político a atuação de uma organização nascida do extremismo que dominou a Alemanha no pós-Primeira Guerra Mundial e a fez arrastar o mundo a outra guerra”, explicou.

E prosseguiu:

“Tal tipo de associação, praticada até por um ministro do STF no exercício do cargo, além de irresponsável, é intelectualmente desonesta."
Adicionar comentário