Imprimir
Categoria: Revanchismo
Acessos: 822

Jornal da Cidade - 16/08/2020 às 18:44
A "grande notícia" neste domingo (16) publicada pelos blogueirinhos de esquerda de plantão é a seguinte:
Família Bolsonaro tem 43 cozinheiros, Chefs e garçons no Alvorada, ao custo mensal de R$ 61.491,74.
:

O "escândalo", segundo eles, é o número de funcionários e o valor gasto.
Então, vamos considerar como fato, afinal a informação foi obtida por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI), disponibilizada pela Secretaria Especial de Comunicação Social da Secretaria de Governo da Presidência da República
A partir daí, onde estaria a notícia para tentar atacar o presidente da república?


Basta fazer a conta e dividir os pouco mais de 61 mil pelo número de trabalhadores da cozinha. Pois o salário médio não ultrapassaria os R$ 1.430,00 ... Vou repetir ... um mil quatrocentos e trinta reais por trabalhador, ou menos do que dois salários mínimos por cabeça, para servir o arroz com feijão e o pão com leite condensado de Bolsonaro, a cada mês.

Aí estaria a notícia. A exploração de mão de obra barata, quase um subemprego.

Depois dessa, estou até pensando em abrir um restaurante, afinal, teria chefs, cozinheiros e garçons "a preço de banana".

Mas o que fica mais do que escancarado, em mais uma tentativa de ataque gratuito, é que se trata de gasto com um pessoal que cumpre horário em sistema de escala, provavelmente por meio de serviços de uma empresa terceirizada que simplesmente fornece os trabalhadores e deve manter no máximo dois ou três, os de confiança, como colaboradores permanentes da cozinha do Alvorada.

E o tiro dos esquerdopatas sai realmente pela culatra quando informam que os valores, até alguns meses atrás, sequer chegava a 38 mil reais mensais.

Ora, basta pensar um pouco para entender que a cozinha oficial não atende somente os três moradores fixos da casa (Jair, Michelle e Laura), mas também os próprios trabalhadores da cozinha e das demais áreas do imenso local, entre eles, profissionais de limpeza, segurança, manutenção e etc.

Ou será que estes, como dizia minha avó "vivem de vento" (talvez o que foi estocado nos ano anteriores por Dilma)?

Para saber a verdade sobre os gastos do Alvorada na gestão Bolsonaro, basta uma rápida pesquisa no Google.

Veremos que o local custa, mensalmente aos cofres da União, cerca de 430 mil mensais, mesmo sem moradores.

Sabereremos ainda que a Granja do Torto, também residencia oficial da presidência, custa pelo menos 70 mil mensais.

E descobriremos ainda que a primeira-dama e o presidente tomaram uma série de medidas de economia, mandando desligar aquecedor de piscina, desativar o ar condicionado em cômodos não utilizados, diminuir e simplificar o cardápio e etc. Pois a economia, nestes menos de dois anos de mandato, já ultrapassou os seis dígitos.

Na falta de fatos e de notícias que realmente denigram a imagem do presidente, eles tentam de todas as formas, mas só conseguem passar vergonha!

Mario Abrahão. Jornalista.