Hoje fazem 2 meses que o meu marido, que tanto lutou contra estes falsos defensores da democracia, faleceu . Recebemos dia 13, por e-mail, do senhor Marcio Rodrigues Silveira solicitando publicação a poesia abaixo, que dedicamos a todos os militares que defenderam ou defendem a nossa Pátria

Homenagem ao Coronel Ustra
Por Marcio Rodrigues Silveira

Residual

Minha pátria amada, estupenda e bela
Está sendo tirada sua parte amarela
Aquela que simboliza nossas riquezas
Já está desprovida de sua beleza.

 

Horizontes acinzentados sobre o céu de anil Ofuscando lindos cenários do meu imenso Brasil Por enquanto meus verdes ainda refletem uma nação Que é rica, valente e de boa intenção.
Surge o vermelho de mais vil carmesim
Trazendo consigo a fome, miséria, enfim
O alarido de seus passos ecoam além
Não deixam meus gritos chegarem a ninguém.

Estandartes, bandeiras, foice, martelo e facão São estéreis de sentido e também de paixão Erguidos no ar como sinônimo de força Por mãos ardilosas, traidoras e loucas
Pessoas que pregam a igualdade em palavras Mas que na prática são bem mais escassas Com sorrisos falando aos muitos ouvidos Nada é o bastante para esses bandidos.

Porém seu tempo em breve é chegado
Pois será combatido pelo bravosoldado
Não será sucumbida minha nação,
Pois eles que tentem: “Por aqui não passarão”.

Comments powered by CComment

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar