Imprimir
Categoria: Forças Armadas
Acessos: 1409

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Talíria e mais nove deputados federais da sigla pediam que o fato fosse investigado dentro do inquérito dos atos antidemocráticos, em tramitação no Supremo Tribunal Federal (STF), e citavam suposta "incitação ao crime" e "apologia de crime ou criminoso", delitos previstos no Código Penal, além de improbidade administrativa.

No dia 31 de março, Braga Netto publicou um post nas redes sociais, comemorando os 57 anos do regime militar de 1964.

Em despacho, a PGR afirmou que os fatos não configuravam crime e, por isso, não caberia dar prosseguimento à investigação.

"Os fatos narrados na manifestação não configuram lesão ou ameaça de lesão aos interesses ou direitos tutelados pelo Ministério Público", argumentou a instituição, arquivando o pedido.

O PSOL disse que irá entrar com recurso contra o arquivamento.