Imprimir
Categoria: Editoria do site
Acessos: 2321

 Carlos Alberto e eu nos conhecemos no primeiro dia em que, recém-formada professora primária no Instituto de Educação/RJ, ia me apresentar na Escola Amazonas, zona rural de Campo Grande para começar a lecionar.

Vimo-nos e sentamos lado a lado no trem, o que passou a ser diário. Foi amor à primeira vista.

Namoramos, casamos e tivemos certeza de que um não seria o mesmo se perdesse o outro.

Com o tempo, constituímos a nossa família, pequena, é verdade – 2 filhas e um neto que nos deram e dão muitas alegrias.

Sempre sentimos que nada, nem a distância, nem os tropeços da vida, nem as dificuldades do dia a dia, nada nos separaria, apesar de termos consciência de que viver sem grandes problemas e conseguir ser feliz nem sempre seria fácil.

E o tempo foi passando... e a vida correndo, e nós vivendo um turbilhão de emoções. Momentos ótimos, alguns bons, outros ruins, quase todos inesquecíveis...

Sorrimos muito, choramos algumas vezes, mas a nosso modo, apoiados um pelo outro, graças a Deus, fomos felizes.

Apoio, muitas renúncias, a dedicação, o companheirismo diário, a admiração de um pelo outro e o amor à família nos uniu cada vez mais.

Continuamos com a certeza de que a nossa caminhada, por mais voltas que ela desse, por mais tortuosa que fosse, por mais pedras que encontrássemos, nos levaria sempre até o outro.

Agora que, fisicamente, Carlos Alberto, se foi, eu reforcei minha certeza de que a distância física não consegue separar aqueles que se amaram, enfrentaram as tempestades e, assim mesmo, conseguiram ser felizes por tantos anos.

Viver sem amor, não é viver e quando se amou como nós nos amamos, cada vez estaremos mais unidos espiritualmente. Nem a morte conseguiu, nem conseguirá nos separar. 

O livro "A Verdade Sufocada", apesar de Carlos Alberto ter falecido em 15 de outubro de 2015, continuará nos mantendo unidos lutando pela democracia. 

Maria Joseita S.Brilhante Ustra

USTRA VIVE!

Livro versão Capa Dura - Adquira aqui