Imprimir
Categoria: Diversos
Acessos: 3777

 Por Edgar granata  O título acima pertence ao do livro de Carlos Alberto Brilhante Ustra (Editora Ser), recentemente lançado numa good evening concorridíssima sessão de autógrafos. Em sua obra o autor desnuda a fundo os porões do comunismo, desfilando todas as conspirações comunistas, como a mais conhecida – a Intentona de 35 – até nossos dias.

  

 

 

Texto completo


 

O salão, embora grande, ficou pequeno para aquele evento. Estava apinhado de democratas saudosistas, não dos velhos tempos, mas dos tempos em que havia ordem, respeito e disciplina. Hoje, a criminalidade grassa com a garantia da impunidade. O povo, equivocadamente, diz que a Brigada prende e o Juiz solta. Quem solta é a lei, num país com falsa liberdade numa falsa democracia. É campo fértil para os subterfúgios dos comunistas.

Os movimentos dos "SEM" (vergonha) invadem e quebram tudo numa noite o que foi conquistado e desenvolvido em décadas, tudo a mando da NOMENKLATURA.

Depois dizem que há insegurança. Falta segurança ou falta lasso?

A hipocrisia dos letrados é adubada com o desconhecimento do povo na liberdade partidária a bel-prazer, inclusive com partidos comunistas, sem falar nos que se abrigam em rótulos de aparente inocência. Ora, como pode ser permitido partido comunista! Isso é engodo 'democrático'.

Se o comunismo prega pela supressão da propriedade privada, como então legalizar tal aberração! Por acaso, a 'companheirada' da elite comunista dividiria com os pobres os seus polpudos vencimentos e suas propriedades?

Todos sabem que os cabeças comunistas ficaram ricos às custas da ingenuidade do povo, mamando nas tetas do governo, inclusive vultosas indenizações até para assassinos comunistas.

Será que não há mais cuiudo como Eurico Gaspar Dutra para tornar ilegal partido comunista e assemelhado?

Já que vivemos num país chamado democrático onde os Três Poderes são independentes, então vamos ao Judiciário pleitear a ilegalidade dos partidos comunistas, afastando os sanguessugas e dar lugar aos que querem trabalhar, dando incentivos na produtividade qualificada.