Pelo simples fato de ser apoiado por Fidel, Chávez, MST, Lula e asseclas, vê-se que se trata de mais um amigo do Foro de São Paulo, essa quadrilha que resgatou o comunismo da lixeira da história.

Integrantes ajudam partidários de Zelaya na fronteira - O Globo
TEGUCIGALPA, Honduras. Um grupo de rastafáris partidários do presidente deposto Manuel Zelaya protestava ao som de tambores diante de um grupo de militares armados com fuzis AR-15, às margens da rodovia que liga Tegucigalpa à Nicarágua, quando um homem levantou um símbolo conhecido da maioria dos brasileiros, a bandeira vermelha com o logotipo do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).

Texto completo

Quem carregava a bandeira era Alexandre Conceição, integrante da direção nacional do MST, que veio de Pernambuco junto com outros dois dirigentes do movimento para dar apoio aos manifestantes pró-Zelaya.

- Hoje em dia os movimentos sociais da América Latina estão mais do que articulados, estão totalmente conectados. Não fomos nem sequer convidados. A luta pela democracia é um compromisso do MST - disse ele.

Acampado há dois dias às margens da rodovia, Conceição comia lascas de banana desidratada enquanto falava dos motivos que o levaram até ali.

- Não podemos permitir um retrocesso aos anos 60 na América Latina. Temos que nos lembrar que naquela época a onda de golpes militares começou na Guatemala até chegar ao Brasil e à Argentina - argumentou.

Enquanto falava, Conceição tratava de ajudar com sua experiência logística no deslocamento do líder da Via Campesina centro-americana, Rafael Alegria, um dos principais alvos do governo interino.

- Hoje (sábado) até que está tranquilo, mas ontem (sexta) vimos atiradores do Exército escondidos no meio do mato. (R.G)

 

Adicionar comentário