JORNAL DO BRASIL 
Descoberta aumenta tensão entre os governos de Caracas e Bogotá

Em meio a uma crise que envolve a Suécia, as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), Venezuela e autoridades colombianas, o governo sueco pediu ontem explicações à Venezuela sobre as armas suecas vendidas a Caracas e encontradas em um campo da guerrilha colombiana das Farc.

Texto completo

– Uma pequena quantidade de armas fabricadas na Suécia foi encontrada em um acampamento das Farc. Pedimos a dirigentes do governo da Venezuela explicações sobre como estes equipamentos chegaram à Colômbia – declarou à AFP Jens Eriksson, conselheiro político do Ministério do Comércio.

De acordo com a revista britânica Jane’s, especializada em defesa, o Exército colombiano apreendeu das Farc vários lança-foguetes antitanque AT4 fabricados pela sueca Saab Bofors Dynamics, que lamentou que as armas tenham parado nas mãos das Farc.

No domingo, o presidente colombiano, Álvaro Uribe, denunciou que os guerrilheiros esquerdistas compraram lança-foguetes no exterior e que seu governo apresentou queixa através dos canais diplomáticos dos respectivos países, sem mencionar quais.

Em Caracas, o ministro venezuelano do Interior, Tareck El Aissami, rejeitou as denúncias de que um lote de armas vendido pela Suécia à Venezuela tivesse sido encontrado em um acampamento da guerrilha das Farc, alegando ser uma "nova investida" contra seu país.

– Desmentimos absolutamente que nosso governo ou nossas instituições estejam prontos a colaborar com organizações criminosas ou terroristas. Dá vontade de rir, parece um filme barato do governo norte-americano, os "pitiyanquis" da região – criticou El Aissami.

Para o vice-presidente da Colômbia, Francisco Santos, a descoberta não representa uma novidade e requer atenção redobrada:

– Isso não é algo novo, e acho que requer muito mais cuidado e uma vigilância extrema – disse Santos à Rádio Caracol.

Mídia

Em sua última edição, a revista colombiana Semana também revela que, em duas operações, em julho e outubro de 2008, o Exército encontrou vários lança-foguetes de origem sueca nos acampamentos das Farc.

Após a constatação, o governo colombiano teria entrado em contato com o governo da Suécia, cuja embaixada em Bogotá confirmou que os números de série das armas correspondem a um lote vendido pela empresa Saab Bofors Dynamics ao Exército da Venezuela, segundo a revista.

No início deste mês, o jornal colombiano El Tiempo também publicara um artigo, citando fontes do Executivo, no qual destacava que o governo está analisando "informações" que indicam que as Farc estariam adquirindo mísseis russos através de contatos na Venezuela.



__._,_.___


"Quando um chefe de Estado e governo afirma que a cobrança ética da sociedade é uma hipocrisia, está explicado como acabou a vergonha geral da Nação.

E quando acaba a vergonha nacional, toda indecência vira normal. Com a maior naturalidade, considera-se que o dinheiro público deva ser gasto para assegurar vantagens especiais em favor dos que têm por função cuidar da coisa pública.

E com a maior naturalidade se desrespeitam direitos dos cidadãos comuns, enquanto facilidades e confortos são ofertados a cidadãos "especiais".

Enfim, até pessoas e empresas que sempre foram corretas, quando a vergonha acaba "lá em cima", também perdem a vergonha "cá em baixo" . E nunca antes neste país houve tanta falta de vergonha como nos dias correntes."

Mauro Chaves


http://resistenciademocraticabr.blogspot.com/
Adicionar comentário