Lula louco para passar a bomba para alguém
México acolherá Zelaya para acabar com crise, diz chanceler
Reduzir Normal Aumentar Imprimir A chanceler mexicana, Patricia Espinosa, afirmou nesta sexta-feira em Cuba que seu governo está disposto a acolher o presidente hondurenho deposto, Manuel Zelaya, de qualquer forma possível na legislação mexicana, para colocar um fim imediato à crise naquele país.
Texto completo
"Estamos dispostos a outorgar qualquer das figuras que estão contempladas em nossa legislação, mas acreditamos que é um tema que se define realmente quando já se está concretizando a mudança", disse Patricia em entrevista coletiva durante sua visita de trabalho na ilha. A ministra ressaltou que a legislação mexicana permite figuras como "asilo" ou "visitante distinto".
Apesar disso, Patrícia lembrou que Zelaya expressou seu desejo de sair de Honduras, mas não em qualidade de asilado. "Estamos dispostos a apoiar uma saída, mas a qualidade migratória de Zelaya ainda está sob consideração e consulta", afirmou a chanceler.
"Está totalmente claro que o Estado que recebe o cidadão de outra nacionalidade é quem determina a qualidade migratória desse cidadão", disse, em referência às exigências de Zelaya.  
 
EFE - Agência EFE - Portal Terra
 
Zelaya só deixará Honduras como asilado, diz governo de facto
Reduzir Normal Aumentar Imprimir O governo de facto de Honduras disse nesta sexta-feira que só permitirá ao presidente deposto Manuel Zelaya sair do país sob o status de asilado político e descartou concedê-lo uma anistia pelas acusações que pesam contra ele.
Zelaya, abrigado há quase três meses na embaixada do Brasil em Tegucigalpa, tentou na quarta-feira deixar a sede diplomática brasileira e partir para o México, mas a ação fracassou devido aos desacordos com o governo do presidente de facto, Roberto Micheletti, sobre os termos de sua saída.
"Sua saída do país só pode ser autorizada sob o pretexto de asilo político por sua condição de pessoa que enfrenta acusações e mandado de prisão", disse o chanceler de facto, Carlos López.
Zelaya tem contra ele uma ordem de prisão decretada por supostamente violar a Constituição ao tentar realizar uma consulta popular que abriria caminho para sua reeleição.
Portal Terra
Adicionar comentário