De onde poderá  surgir um golpe ?
Em jornal, PT vê risco de novo golpe militar
Por  Rainer Bragon - Sucursal de Brasília 
Folha de S. Paulo   
Publicação diz que "ovo" dos golpistas "está intacto" e que povo deve escolher entre "Dilma e a barbárie"
Sob patrocínio da direção nacional do PT, começou a circular ontem um jornal que afirma que o "ovo da serpente" do golpe de 1964 "está intacto" e hoje se manifesta em um "conluio das elites" abrigado na mídia, no Legislativo e no Judiciário.
O "Movimentos" é de responsabilidade das secretarias nacionais do PT que atuam nos movimentos sociais, e está em sua segunda edição.
"Os movimentos sociais organizados precisam se manter atentos, pois o "ovo da serpente" está intacto e as mesmas elaborações teóricas, sentimentos de superioridade e defesa de privilégios que animaram os golpistas de 1º de abril de 1964 ainda estão presentes nos corações e mentes da elite", diz o jornal.
Na atual edição, o editorial é assinado pelo presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra, para quem é uma das tarefas do jornal "servir como instrumento de formação e informação da militância, não só para o enfrentamento de disputas eleitorais, mas sobretudo das batalhas que se dão cotidianamente na sociedade brasileira".
O texto principal do jornal, de 12 páginas, fala que "os articuladores e reais mentores da ditadura" estão "encastelados em entidades patronais, nos meio de comunicação que a ditadura lhes legou, nos espaços conquistados, graças ao seu servilismo, no Poder Judiciário, no Legislativo e na burocracia dos Executivos".
Quase toda a edição estabelece uma relação entre a repressão política praticada pela ditadura militar (1964-1985) e os conflitos da polícia com professores em greve, em São Paulo, Estado governado até os três primeiros meses do ano pelo tucano José Serra.
Na legenda de uma das fotos dos conflitos deste ano, o texto diz: "Até parece que a ditadura não acabou em 1988. A polícia na rua quer o fígado dos estudantes em manifestação".
No artigo que assina, o secretário Nacional de Movimentos Populares e Políticas Setoriais do PT, Renato Simões, afirma que a "mídia privada e o Poder Judiciário" são "os dois maiores sujeitos políticos da oposição, deixando secundarizados os partidos políticos na tarefa de confrontar a base social e política do governo federal".
Já a página 7 do "Movimentos" trata das eleições de outubro e estampa a manchete "É Dilma ou a barbárie". No texto, o jornal afirma que o Brasil viveu "oito anos de regime neoliberal" e que o capitalismo, "em especial a sua versão mais radical, o neoliberalismo, tem representado a barbárie social".

 

Comments powered by CComment

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar