Sem-terra fecham avenida em Recife
O Globo
RECIFE. Ocupando a sede do Incra em Recife desde o último domingo, cerca de 500 trabalhadores rurais ligados ao MST fecharam ontem o trânsito na Avenida Rosa e Silva, onde fica a repartição. De acordo com o Movimento, foi um protesto contra a morosidade da reforma agrária em Pernambuco, onde, segundo o MST, este ano não foi feita nova desapropriação nem assentada nenhuma família.
Durante o chamado Abril Vermelho, os sem-terra entregaram uma pauta de reivindicações ao Incra, mas o coordenador do MST em Pernambuco, Jaime Amorim, informou que não houve cumprimento dos itens negociados, entre eles a urgência em vistorias para áreas exigidas pelo MST, que alega ter mais de 17 mil famílias acampadas no estado.
O Incra local não se pronunciou sobre o assunto.
Os sem-terra invadiram a sede do Incra em Recife depois de arrombar a porta do prédio principal, um casarão do início do século passado, na Avenida Rosa e Silva, principal via de acesso do Centro à Zona Norte. O bloqueio provocou congestionamento. Os sem-terra só deixaram a avenida depois da promessa de que teriam um encontro com a diretoria nacional do Incra.
À tarde, a sede da autarquia permanecia ocupada, com barracas de lona espalhadas pelo pátio interno. Segundo vigilantes, além de quebrar o cadeado e arrombar a porta da frente, os sem-terra arrombaram as portas dos banheiros femininos e do acesso ao gabinete da superintendência.
Para Jaime, o prejuízo não foi tão grande: — O Movimento não deu orientação para quebrar nada.
Mas o prejuízo provocado ao Incra é muito menor do que o que o Incra impõe aos sem-terra.

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar