Imprimir
Categoria: Diversos
Acessos: 3197

 A cena foi captada pelas lentes do repórter Lula Marques. Deu-se às 19h40 desta quarta-feira (23). O auriverde símbolo desta terra em que já nem o sabiá se arrisca a cantar, com receio de que o pio seja captado pela escuta ambiental da PF, jaz, amarfanhado e esquecido, num canto ermo do Salão Nobre da Câmara. Em pensar que Olavo Bilac um dia escreveu:

"Salve, lindo pendão da esperança, Salve, símbolo augusto da paz!

Tua nobre presença à lembrança. A grandeza da pátria nos traz."

O pendão, é certo, continua lindo. Mas a esperança, até ela, já nos foi roubada. O símbolo, por mais augusto e nobre, já não consegue evocar senão a grandeza da vergonha. Um sentimento penoso, que emerge das vísceras, expostas a golpes de navalha e humilhação.
Escrito por Josias de Souza