Lula, sindicalista , durante o regime militar.
  Lula conhece a história, pois viveu essa época.

Lula, a história e o regime militar
“... Agora, com toda a deformação, se você tirar fora as questões políticas, as perseguições e tal, do ponto de vista da classe trabalhadora o regime militar impulsionou a economia do Brasil de forma extraordinária. Hoje a gente pode dizer que foi por conta da dívida externa, “milagre” brasileiro e tal, mas o dado concreto é que, naquela época, se tivesse eleições diretas, o Médici ganhava.    
É o problema da questão política com as outras questões. Se houvesse eleições,

 o Médici ganhava. E foi no auge da repressão política mesmo, o que a gente chama de período mais duro do regime militar. A popularidade do Médici no meio da classe trabalhadora era muito grande. Ora, por quê? Porque era uma época de pleno emprego.
Era um tempo em que a gente trocava de emprego na hora que a gente queria. Tinha empresa que colocava perua para roubar empregado de outra empresa ...”
 “... Eu acho que o regime militar, ele com todos os defeitos políticos, com todas as críticas que a gente faz, acho que há uma coisa que a gente tem de levar em conta. Depois do Juscelino, que stabeleceu o Plano de Metas, os militares tinham Planos de Metas.
O Brasil vai do jeito que Deus quer. Não existe projeto de política industrial, não existe projeto de desenvolvimento. E os militares tiveram, na minha opinião, essa virtude. Ou seja, pensar o Brasil enquanto Nação e tentar criar um parque industrial sólido.
Indústrias de base, indústrias de setor petroquímico...
Isso, obviamente, deu um dinamismo. É por isso que os exilados, quando voltaram tiveram um choque com o Brasil. Porque o Brasil, nesse período, saiu de um estado semi-industrial pra um estado industrial...”

Trecho abaixo, do depoimento de Luiz Inácio Lula da Silva, dado, em 03/04/1997, a Ronaldo Costa Couto e publicado no livro Memória Viva do Regime Militar. Brasil:
1964-1985 - Editora Record 1999.

A respeito da seriedade do governo militar, Elio Gaspari, um dos maiores críticos dos governos militares, em seu livro A Ditadura Escancarada, página 133, escreve o seguinte:

“Presidiu o País em silêncio, lendo discursos escritos pelos outros, sem confraternizações sociais, implacável com mexericos.
Passou pela vida pública com escrupulosa honorabilidade pessoal.
Da Presidência tirou o salário de Cr$ 3.439,98 líquidos por mês (equivalente a 724 dólares ) e nada mais. Adiou um aumento da carne para vender na baixa os bois de sua estância e desviou o traçado de uma estrada para que ela não lhe valorizasse as terras.
Sua mulher decorou a granja oficial do Riacho Fundo com móveis usados recolhidos nos depósitos do funcionalismo de Brasília.”
Comentários   
#3 1000 08-11-2014 22:23
CONCORDO COM VOCÊ AE ABRI O ARQUIVO DA TERRORISTA DILMA TBM 8) 8) :D :D :lol: :lol:
#2 ae 17-09-2014 13:11
VAMOS ABRIR OS ARQUIVOS DA TERRORISTA DILMA TBM
#1 Lixosa 30-10-2013 13:35
lula no meu pau
Adicionar comentário