Ministro Antônio Palocci
O malabarista
 Por Luiz Carlos Azedo e Leonardo Santos - Correio Braziliense
Brasília-DF - 21/01/2011 
Reina a paz entre o PT e o PMDB depois do enfrentamento protagonizado pelo líder da bancada na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN), por causa da verticalização da presença do PT nos ministérios da Saúde e das Comunicações. O artífice do armistício foi o ministro da Casa Civil, Antonio Palocci, que recebeu da presidente Dilma Rousseff a missão de administrar os conflitos entre as duas legendas
Habilidoso, Palocci conhece o jogo pesado dos bastidores das comissões técnicas e do plenário da Câmara, principalmente aqueles que mexem com os cofres do governo e com os bolsos dos contribuintes.
O fato de ter sido ministro da Fazenda no primeiro mandato do presidente Lula foi um doutorado em matéria de identificação de interesses econômicos concentrados na política. Para alguns, inclusive, essa é a essência da luta pelo poder.
A propósito, há dois tipos de parlamentares no Congresso: os que veem a política como bem comum e os que a veem como negócio, para usar uma divisão bem clássica (sem preconceito). Ambos estão presentes em quase todos os partidos, principalmente naqueles que, de alguma forma, exercem o poder. Palocci transita com facilidade entre os dois tipos de políticos. Por isso, é tão bem-sucedido na articulação dos partidos da base, tanto para a negociação dos cargos do governo, quanto para a reeleição de Marco Maia (PT-RS) à Presidência da Câmara.

 

Comments powered by CComment