Mensalão na festa do PT
Correio Braziliense - 10/02/2011 
Partidos 
Sigla celebra hoje os 31 anos de sua fundação e tenta redimir os envolvidos no maior escândalo da história da legenda 
Em seu aniversário de 31 anos, o PT se prepara para tentar resgatar os deputados que terminaram sugados pelo escândalo do mensalão. Texto completo
O primeiro movimento nesse sentido será a indicação do ex-presidente da Câmara e deputado João Paulo Cunha (PT-SP) para presidir a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa. Internamente, o gesto vem sendo colocado como a “redenção” do parlamentar, que, em 2005, foi acusado de receber R$ 50 mil da agência SMPB, do empresário Marcos Valério.
O retorno de João Paulo Cunha à ribalta é considerado crucial para os projetos do PT de, aos poucos, conseguir reduzir essa mancha na sua história. O objetivo do partido é, aos poucos, tentar mudar a imagem no que se refere ao mensalão. Em uma de suas últimas entrevistas, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que o PT deveria enfrentar esse tema e mostrar que não houve o pagamento de mesada ou de vantagens para que seus deputados votassem a favor do governo. Para alguns petistas, Lula, com aquele gesto, estimulou seus correligionários a trabalhar no sentido de convencer o eleitorado de que não houve o mensalão.
Os petistas, entretanto, consideram difícil que o ex-presidente retome esse assunto hoje, um dia de festa. Será a primeira fala de Lula ao seu partido depois que transferiu a faixa presidencial para Dilma Rousseff. Por isso, ao contrário dos anos anteriores, a tradicional recepção numa suntuosa casa de festas da cidade — onde a entrada de militantes era cobrada — foi substituída por um ato político, que será no Teatro dos Bancários.(...)
Leia íntegra da matéria no Correio Braziliense

(...)
 

Comments powered by CComment

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar