Por Alexandre Garcia
  No estádio batizado pelo sal das lágrimas de Uruguai 2 x Brasil 1, o veredicto foi forte, na sexta-feira 13 de Lula. Afinal, o que dizem as pesquisas? Que Lula está com o governo aprovado? Mas então, e a voz do Maracanã? Ah, não foi o pessoal do bolsa-família? Foi a classe média alta? Como assim? Classe média alta carioca é suficiente para encher o Maracanã? Classe média alta vai ao Maracanã? Ora, ora, claro que não vai. Foi classe média mesmo. Aquela, que paga imposto, que espera na fila, que é assaltada, que fica quieta quase sempre. Que já não agüenta mais. Foi a tal que saiu para as ruas, aos milhares, exigindo que os milicos derrubassem o Jango? Era a torcida do Fluminense e do Botafogo? Sei lá. Era o Maracanã, com todo o seu significado. O mesmo que aplaudia Médici de pé. Mas que vaia até minuto de silencio (para consolo de Lula), como ensinava Nélson Rodrigues.
Adicionar comentário