Bombeiros do Rio em BSB - pressão pela anistia
O Globo - 01/07/2011  
Projeto que põe fim a processos criminais abertos após invasão de Quartel Central agora segue para o Senado
BRASÍLIA. A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara aprovou ontem a anistia criminal para a 429 bombeiros e dois policiais militares do Rio de Janeiro que estão sendo processados por motim e depredação depois de terem invadido o Quartel Central da corporação, durante a campanha por reajuste salarial.
A proposta segue agora para o Senado.
Deputados de todos os partidos presentes na reunião fizeram discursos de apoio aos bombeiros e criticaram o governo do Rio. O deputado Chico Alencar (PSOL-RJ) lembrou que o governador Sérgio Cabral (PMDB) chegou a admitir publicamente ter havido excessos.
Segundo o presidente da CCJ, deputado João Paulo Cunha (PT-SP), como o assunto foi acordado entre todos os partidos, a comissão dispensará as cinco sessões necessárias para enviar a proposta ao Senado. Normalmente, esse é o prazo para a apresentação de recurso, antes que a proposta seja votada em plenário.
O texto aprovado é um substitutivo do presidente da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado, deputado Mendonça Prado (DEM-SE) para seis projetos sobre o assunto - três sobre o Rio e dois sobre anistia para PMs e bombeiros de Rondônia e de Sergipe, que também estão sendo processados por participação em movimentos por reajuste salarial.
Anteontem, um grupo de bombeiros do Rio fez um protesto na Esplanada dos Ministérios e em frente ao Palácio do Planalto. Após reunião de líderes com o presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), ficou acertado que a CCJ votaria ontem o projeto já em caráter terminativo. Se for aprovado pelo Senado, o projeto ainda deve ser sancionado pela presidente Dilma Rousseff.
 
 

Comments powered by CComment