Dá nomes?... São tantos, vou esquecer algum!
  Jobim explica a Dilma sua frase de que é obrigado a conviver com idiotas
Em reunião com presidente, ministro disse que não comparou governo FH ao dela
Chico de Gois - Adriana Vasconcelos - O Globo
BRASÍLIA. Após afirmar, sem citar nomes, que é obrigado a conviver com idiotas, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, teve de se explicar ontem à presidente Dilma Rousseff. O ministro deu a polêmica declaração anteontem, durante a homenagem ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso por seus 80 anos.
Ontem, Jobim se reuniu com Dilma no Palácio da Alvorada, encontro que já estava previamente agendado. Na conversa, ela teria abordado o assunto, dizendo-lhe que queriam criar intrigas entre os dois.O ministro explicou que a interpretação dada por algumas pessoas estava acima do tom e que não quis fazer um paralelo entre o governo FH e o dela.
Na homenagem ao ex-presidente, Jobim citou o dramaturgo Nelson Rodrigues:
- Ele dizia que, no seu tempo, os idiotas chegavam devagar e ficavam quietos. O que se percebe hoje, Fernando, é que os idiotas perderam a modéstia. E nós temos de ter tolerância e compreensão também com os idiotas, que são exatamente aqueles que escrevem para o esquecimento.
Guerra: "Essa contabilidade é numerosa"
Segundo disse a ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, no encontro de ontem com Dilma, Jobim tratou do acesso aos documentos sigilosos e da Comissão Nacional da Verdade. De acordo com Ideli, Jobim afirmou que daria explicações para desfazer o mal-entendido. No entanto, o Ministério da Defesa não divulgou nota sobre o assunto.
O novo líder do governo no Congresso, Mendes Ribeiro (PMDB-RS), pôs panos quentes e afirmou que Jobim não deu um recado ao governo:
- (Com) Isso também temos (de conviver). Agora, quais são eles? Onde estão? Cuidado! Se descobrirem, aqueles que tu achas que são idiotas podem te incomodar, hein? Porque, certamente, tu não confessas quais são, não podes dizer quais são. Às vezes, estão à nossa volta.
No Congresso, governistas e oposicionistas ficaram surpresos com a declaração. A avaliação, quase unânime, é a de que Jobim deu um recado a Dilma, com quem nunca teve relação próxima. Mas, publicamente, ninguém assumiu essa opinião:
- Melhor perguntar ao próprio para esclarecer - desconversou o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR).
Sem nominar os idiotas, o presidente do PSDB, deputado Sérgio Guerra (PE), brincou:
- Essa contabilidade é numerosa.
 

Comments powered by CComment