Quase mataram o Coronel...

Por Luiz Mergulhão

Cel Ustra e a dedicatória ao Mergulhão
Cel. Ustra autografando meu livro

A fila era interminável e dava voltas no Salão Nobre do Clube Militar no Rio de Janeiro. A tarde de autógrafos do lançamento do livro do Cel Brilhante Ustra, A Verdade Sufocada, era para ter início às 17 horas, mas, meia hora antes, o simpático militar já atendia os inúmeros amigos que acorreram para lhe cumprimentar. E não parou mais. A todos recebia com abraços e uma palavra amiga. Ia escrevendo as dedicatórias uma a uma. Passava das vinte horas e nada da fila terminar e os dedos do Coronel já não se comportavam como deviam. Teimavam em lhe desobedecer e ele aproveitava para levantar e abraçar a cada um para “esticar as costas”...

Texto completo e fotos 


 


Salões cheios desde o início...

E quase mataram o Coronel de tantos autógrafos e dedicatórias...

Amigos aproveitam para confraternizar
Jair Bolsonaro a esquerda

Cheguei cedo, eram quatro da tarde quando entrei no lindo salão com a parede toda tomada pelo famoso quadro do Grito do Ipiranga. Fui cumprimentar o anfitrião, sua simpática esposa, Jô para os amigos, e logo começaram a chegar os sócios do Clube e outros convidados.

Aproveitamos para cumprimentar os amigos, o Gen Montagna, velho Comandante, e muitos outros. O Gen Nery veio acompanhado de várias estudantes que estavam fazendo um trabalho sobre a Revolução de 31 de março. Melhor local do que aquele inexiste. (O Clube Militar é conhecido como a Casa da República)

Garçons circulavam pelo salão... .

O Estado brasileiro que mais comprou o livro A Verdade Sufocada foi o Rio Grande do Sul, seguido pelo Rio de Janeiro e em terceiro lugar, São Paulo.

Rueda, Monteiro, Ustra, Mergulhão, Laudelino e Northon
Oficiais da reserva posam junto com o Cel. Brilhante Ustra. Tenente Monteiro, segundo da esquerda para direita, é o Presidente do Conselho Nacional dos Oficiais da Reserva ( www.cnor.org.br ) e dos seus 90.000 integrantes.

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar