Aquífero Alter do Chão tem água suficiente
para abastecer a população mundial .
A enorme  dimensão física é formada por fauna,
flora e rios
Não é de hoje que a região amazô-
nica atrai 
 olhares do mundo inteiro.

Gen Marco Antonio Felício da Silva*
“Os países industrializados não poderão viver da maneira como existiram até hoje se não tiverem à sua disposição os recursos naturais não renováveis do planeta. Terão que montar um sistema de pressões e constrangimentos garantidores da consecução de seus intentos.” 
Henry Kissinger - Secretário de Estado
A questão dos recursos hídricos, infelizmente, não tem sido tratada com seriedade no Brasil ao contrário do que ocorre nos Estados Unidos. Lá, tais recursos (já escassos em várias áreas) e os aproveitamentos respectivos são assuntos inerentes à Segurança Nacional e, por tal razão, entregues, em grande parte, à responsabilidade do Corpo de Engenheiros do Exército.
Texto completo
 Sabe-se que, nos últimos anos, houve redução planetária de pelo menos 60% das reservas de água doce. Os dados sobre a América Latina falam em redução de 73%. As reservas de água potável na Terra são de 2,5%. 2% delas se localizam nas geleiras polares e apenas 0,5% podem ser exploradas. Os números conhecidos e divulgados, mostram que o Brasil detém 50% das reservas de água doce da América Latina e conta com 12% a 15% de toda a água doce do planeta. Temos de sobra o que já é escasso em grande parte do mundo. Algo sumamente valioso, pois, fonte de vida :  água.
Há que ressaltar que dados preliminares, divulgados por pesquisadores da Universidade Federal do Pará (UFPA), apontaram o aquífero “Alter do Chão”, recentemente descoberto, como o maior depósito de água potável do planeta. Com volume estimado em 86.000 quilômetros cúbicos de água doce, a reserva subterrânea está localizada sob os Estados do Amazonas, Pará e Amapá. “Essa quantidade de água seria suficiente para abastecer a população mundial durante 500 anos”, informa geólogo da UFPA. “Alter do Chão”, com 437.500 quilômetros quadrados de extensão e espessura de 545 metros, tem volume de água superior a do aquífero “Guarani”, este um pouco mais extenso, porém com menor espessura.” Em termos comparativos, “Alter do Chão” tem quase o dobro do volume de água do aquífero “Guarani” (com 45.000 quilômetros cúbicos). Até então, o Guarani era a maior reserva subterrânea do mundo, distribuída por Brasil (cerca de 50%), Argentina, Paraguai e Uruguai.
Surpreendentemente, a maior reserva de água doce brasileira está localizada no Norte e no Nordeste, esta última a Região que mais sofre os efeitos da seca.
NO MÍNIMO, CURIOSO PARA NÃO DIZER ESTRANHO, recentemente, foi realizado, com a presença do General comandante do “US Southern Command” e comitiva militar, encontro para discutir contrato de cooperação técnica, assinado entre a Codevasf (Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaiba), empresa pública vinculada ao Ministério da Integração Nacional, e o Corpo de Engenheiros do Exército Norte-americano (USACE).  A Codevasf informa que atua em 13% do território nacional, perfazendo mais de 1,1milhão de quilômetros quadrados, abrangendo 894 municípios e uma população de 23,3 milhões de pessoas. “O Corpo de Engenheiros do Exército Norte-americano irá providenciar assistência técnica ao longo do São Francisco, em tempo integral, com especialistas em áreas de hidráulica, geotécnica, dragagem e engenharia de construção (incluindo outras especialidades a serem requeridas pela Codevasf), com experiência em estabilização de margens de rio, controle de erosão, dragagem, escavação em rocha e navegação”. Há que ressaltar que o investimento será da ordem de 73 milhões até o final deste ano para cumprir a meta de, numa primeira etapa, tornar 657 quilômetros de rio navegáveis. O contrato de assistência técnica com o USACE, foi assinado em dezembro de 2011, com vigência de três anos, envolvendo investimento de US$ 3,84 milhões.
Isso significa o absurdo que representa a presença de tropa estrangeira, atuando em extensa área do território brasileiro, o que necessita, pela Constituição Federal, do aprovo da União.
              NO MÍNIMO, CURIOSO PARA NÃO DIZER ESTRANHO, tal contrato com o USACE, pois,  além de afetar a Segurança Nacional, contraria o interesse da Nação, pois, temos universidades como a UFRJ e UFPA, centros de pesquisas como a COPPE, além dos batalhões de Engenharia do Exército, Instituto Militar de Engenharia (IME), Instituto de Pesquisas da Marinha(IPqM) , todos com grande expertise no assunto, objeto de contrato com o órgão militar estrangeiro. Estamos destinando recursos da ordem de milhões de dólares ao Exército Norte-americano para assessoramento e pesquisas em território brasileiro, sem necessidade, quando os investimentos em ciência e tecnologia no País são sumamente parcos, vivendo universidades, centros de pesquisas e pesquisadores a míngua de tais recursos.
              NO MÍNIMO, CURIOSO PARA NÃO DIZER ESTRANHO o Governo Federal aceitar tal contrato, lesivo aos interesses e soberania nacionais, e os administradores da Codevasp anunciarem a intenção de incrementar as ações do USACE, fazendo-o atuar em outros setores de responsabilidade da referida Companhia.      
                                                                                                                                              *Cientista Político, Ex-Assessor de Inteligência do Gab Ministro do Exército e ex-oficial de Ligação ao Comando de Armas combinadas do US Army     
      

Comments powered by CComment