Imprimir
Categoria: Diversos
Acessos: 2863

 O Informe Secreto Nº 157/2001, emitido pelo VII COMAER - MANAUS 
Acredite se quiser. Numa área ianomâmi, em Roraima, militares da FAB hasteiam a bandeira do Brasil diante de Sede de ONG, onde antes só havia o símbolo e a bandeira da Comunidade Européia.

 

 

Texto completo  

Gostaria de informar ao ilustre Vice-Presidente do MODECON Engº Ricardo Maranhão, a reportagem da Revista ISTO É, abril de 2004.
A reportagem têm o título SOBERANIA AMEAÇADA.
 
O informe secreto número 157/2001, emitido pelo Sétimo Comando Aéreo Regional de Manaus em 13 de agosto de 2001, faz um relato que demonstra com clareza os motivos da preocupação dos militares.
 
O documento narra que, em 14 de março de 2001, um avião C-98 Caravan da FAB - Força Aérea Brasileira perdeu o controle durante pouso em Paa-Piú Novo, a cerca de 250 quilômetros de Boa Vista-RO.
Para recuperar o avião, militares da Aeronáutica foram levados à região e lá montaram acampamento.
 
"No reconhecimento da região foi observada a presença atuante da ONGs Médecins du Monde, da Comunidade Européia, que ocupa casa de madeira e "cuida" da saúde dos índios ianomâmis",  relatam os militares.
 
Eles constataram que a entidade mantém laboratórios bem equipados na região e levantaram indícios de que "existe um rigoroso acompanhamento biológico dos índios com análises sanguíneas e avaliações dos princípios ativos dos remédios naturais utilizados pelos silvícolas".
 
Os militares relatam, ainda que diversos "estrangeiros presentes na região tentavam se esconder" quando eram vistos e dois brasileiros funcionários da ONG e identificados apenas como José Melo e Elissandra lhes negavam qualquer informação sobre o grupo.
 
"Um nosso oficial conseguiu conversar com uma senhora francesa e, quando lhe perguntou como se sentia na condição de estrangeira em uma localidade tão inóspita, ela lhe respondeu que ali não era estrangeira, pois a região amazônica também era dela", descreve o informe secreto.
 
Na frente da Sede da ONG encontrava-se o logotipo da entidade e a bandeira da Comunidade Européia; não havia, no entanto, nenhuma bandeira do BRASIL.
Ao serem questionados, os funcionários da organização não-governamental responderam que não havia a bandeira nacional porque "o BRASIL não ajuda em nada".
 
Mais adiante, o documento diz: "No interior da casa de madeira foi observada um mapa do BRASIL com a inscrição "BRASIL 500 anos... O BRASIL que nós queremos são outros 500" e com o BRASIL politicamente dividido sem a região Amazônica.
 
" Revoltados, os militares hastearam uma bandeira do BRASIL na porta da entidade".
"É preciso haver uma triagem e saber exatamente quais os interesses que estão por trás dessas entidades". Há muita ONG "picareta", afirma o Coronel da Reserva Geraldo Cavagnari, membro do Núcleo de Estudos Estratégicos da Unicamp.
 
A Médecins du Monde é uma respeitada ONG e o informe secreto da Aeronáutica não prova que a entidade esteja cometendo atos ilegais no BRASIL, mas não deixa de ser absurdo o fato de ela ostentar uma bandeira da Comunidade Européia em pleno território nacional.
 
A proliferação de organizações não-governamentais estrangeiras na região amazônica preocupa militares e acadêmicos do BRASIL.
 
Em áreas indígenas de Roraima, por exemplo, chama a atenção a quantidade de europeus e americanos que circulam sem embaraço por lugares que brasileiros têm dificuldade para entrar, em razão de resistência impostas pelas próprias comunidades assistidas, pelas ONGs.
                                           
                                          Atenciosamente,
 
                                     Wellington Faria Santos
                                        Consultor de Aviação