" Esbirros de fanfarra cooptados pelo esquema petista-
cutista-catrista " para tentar abafar as palavras da
blogueira Yoani.
Vejam o vídeo AQUI  e  conheçam as dificuldades com
que luta a blogueira para tentar mostrar ao mundo 
a ditadura cubana.
 ‘A imagem de Yoani desembarcando no Recife vale mais que mil palavras que nunca foram ditas em Cuba’
Celso Arnaldo Araújo
Faltou destacar a pretensão imbecil desses esbirros de fanfarra cooptados pelo esquema petista-cutista-castrista para a desmoralização de Yoani Sánchez no Brasil. Imagine: eles tentaram intimidar uma moça que há mais de 15 anos não faz outra coisa além de arrostar, de cara lavada, e só munida de seu computador quase desconectado do mundo, uma das mais longas, impenetráveis, impermeáveis e sanguinárias ditaduras da história moderna.
Texto completo
Todo esse tempo, ela enfrentou burocratas suados e gorilas de verde oliva treinados para reprimir, calar, prender, torturar, arrancar e, em nome dos ideais do socialismo, castrar vozes e espíritos dissidentes – esta, a verdadeira especialidade dos Castros. Nunca cedeu, nunca esmoreceu. E, ironia da história: o governo de Cuba, ao finalmente autorizar a saída pacífica de Yoani, depois de dezenas de tentativas frustradas, pelo menos aparentemente demonstrou ser hoje mais tolerante à dissidência que esses cubanos falsificados que quase agrediram a moça na chegada ao Brasil.
Por isso, a imagem de Yoani Sánchez desembarcando no Recife vale mais que mil palavras que nunca foram ditas em Cuba. Para quem conhece a história de Yoani, não causou surpresa a indiferença altiva e serena com que ela reagiu às manifestações da turba mal ensaiada — que talvez tenha até contido sua agressividade natural, já que capaz de coisas muito piores, diante da revelação, na véspera, do complô contra ela. Escalados há tempos para a missão, não quiseram perder a viagem. Mal sabiam esses tipinhos à toa — ofensivos à nossa inteligência, mas inofensivos à ordem geral das coisas — que, aos ouvidos de Yoani, vozes discordantes, mesmo quando pífias e desafinadas, chegam a soar como uma cantata de Bach. Nesses 50 anos, quando ouvidas em Cuba, custaram aos donos das laringes emitentes uma longa temporada numa masmorra imunda e silenciosa.
A recepção vulgar e tacanha a uma jovem dissidente que luta pela liberdade de denunciar a falta de liberdade em Cuba não perturbou Yoani. Pelo contrário: com uma elegância democrática que chega a ser sensual, disse ter gostado até dos insultos que recebeu. E, assim que pisou aqui, mostrou-se deslumbrada com a rapidez da nossa banda larga. De seu celular, obteve conexão imediata. Tweet transmitido ontem de madrugada a seus 410 mil seguidores:
“Créanme que la experiencia de internet me tiene asombrada. Cómo es posible que mi país siga condenado a la desconexión?”.
Em seguida:
“Ahora ya entiendo mejor por qué tantos remilgos, demoras y censuras para abrir el acceso a internet para los cubanos”
Ok, algumas frases mais ressonantes impressionaram Yoani ao chegar ao Brasil — mas definitivamente não foram os xingamentos dos idiotas que tentaram esfregar notas falsas de dólar em sua cara e chegaram a puxar sua linda cabeleira. Tuitou Yoani, ao respirar e a escutar liberdade depois de tantos anos:
“Me asombró ver a varios empleados aeropuertarios de Brasil hablar en voz alta y francamente de política. Em Cuba hablan en un murmullo”.
O murmullo de Yoani finalmente ganhou corpo – a despeito dos sussurros trocados entre os prepostos dos Castros e dos Carvalhos, que tramaram contra ela, contra a liberdade, na Embaixada de Cuba em Brasília.

Comments powered by CComment