Por Nivaldo Cordeiro
A proposta do governo Lula de prorrogação da CPMF foi derrotada e o fato sozinho é histórico, um divisor de águas. Saúdo os senadores da oposição, os Democratas e os Tucanos. Havia muitos anos que a classe política não deliberava em matéria legislativa acima dos interesses paroquiais de cada senador individualmente, levando em conta somente a defesa dos interesses difusos da população brasileira. Derrotou-se um monstro tributário, mas foram derrotadas também a arrogância do Executivo e a lógica de tratar a população brasileira como escrava do Estado, invertendo-se assim a curva de arrecadação do impostos, secularmente crescente.

Texto completo  

Saúdo o Congresso Nacional pela afirmação de seu poder diante do Executivo e de seu compromisso com aqueles a quem representa, o povo brasileiro.

 

Estamos diante de um fato histórico maiúsculo, com graves desdobramentos sobre o duelo real que se trava na cena política brasileira: entre os que amam a liberdade e a democracia e aqueles que pelejam para a implantação do totalitarismo por aqui. Não posso deixar de nominar o senador Arthur Virgílio na sua luta contra o PT e Lula. Conquistou a minha admiração, da mesma forma que gente como Sarney e sua laia recebeu o meu mais profundo desprezo. É preciso dizer que foi também a derrota do fisiologismo, do adesismo, do coronelismo, do oportunismo, da sem-vergonhice dos que usam das prerrogativas da investidura do voto para locupletar-se contra os interesses da Nação.

 

A derrota do governo tornou-se sobretudo o símbolo da resistência democrática contra aqueles que querem se eternizar no poder e manipular os destinos da nossa gente ao seu talante. Se a CPMF foi derrotada em noite gloriosa, não terá destino diferente qualquer tentativa espúria de prorrogação de mandato ou reeleição do presidente Lula. Há no meio civil um núcleo duro de poder capaz de confrontar essa malta de aventureiros que tomou conta do Estado brasileiro. Esse é o grande fato que emerge dessa derrota monumental. Certamente veremos que, de hora em diante, a arrogância dos estrategistas do Planalto terá que ser posta de lado e jogo democrático praticado na sua plenitude.

 

Talvez tenhamos aqui de fato um divisor de águas histórico. Ficou provado que Lula e o PT não poderão levar à frente seu projeto político totalitário manipulando ardilosamente as fraquezas da democracia. Esta também tem a sua força e sua autodefesa, que é a capacidade de o Parlamento pôr freio às proposições que atentam contra ela. Então é de se esperar uma nova fase na ação política das forças governantes. Como essa gente não tem escrúpulos e quer levar avante, contra tudo e contra todos, suas idéias totalitárias, terão que tirar a máscara de falsos democratas e partir para a fase do confronto com as instituições. Definitivamente meu prognóstico é que, consumado o cenário de possível derrota em 2010, as forças governistas poderão procurar o atalho mais curto para não perderem o poder.

 

Cabe aos nossos bravos senadores e deputados a vigilância e a ação resoluta na defesa dos interesses maiores do Brasil. Vimos que temos homens de fibra e de espírito público, verdadeiros estadistas. Um graça de Deus. O Brasil amanheceu hoje sorridente, ostentando a alegria dos que usufruem da liberdade, o maior dos bens público.

 

Nivaldo Cordeiro

www.nivaldocordeiro.net 

Adicionar comentário