Reuters

BOGOTÁ - A Câmara de Representantes da Colômbia exigiu que o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, contenha os constantes ataques que vem fazendo contra o mandatário Alvaro Uribe, depois da suspensão da intervenção do venezuelano na negociação com os rebeldes das Farc. Foi mais um "cala-boca" ouvido por Chávez, depois do rei Juan Carlos, da Espanha, que durante a Cúpula Ibero-Americana, no mês passado, no Chile, mandou o venezuelano se calar.

Texto completo  


" Esperamos que o senhor presidente Hugo Chávez pare com os constantes ataques contra o povo colombiano "

"Esperamos que o senhor presidente Hugo Chávez pare com os constantes ataques contra o povo colombiano e ao mesmo tempo o exortamos para que suas declarações se tornem construtivas, em prol das relações binacionais, e que ele não continue agredindo o chefe de Estado da República da Colômbia", diz a moção aprovada na quinta-feira.

As relações entre Colômbia e Venezuela estão em seu pior momento em anos, depois de Chávez ter chamado Uribe de mentiroso. Os ataques começaram quando Uribe tirou Chávez da mediação das negociações com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), que visavam à libertação de um grupo de reféns.

Chávez foi retirado das negociações por ter entrado em contato com o comandante do Exército da Colômbia sem consultar Uribe. Entre os reféns está a ex-presidenciável Ingrid Betancourt, sequestrada durante a campanha, há quase cinco anos.

Depois de uma forte reação contra Chávez, Uribe vem se mantendo discreto. Uribe é forte aliado dos Estados Unidos, os maiores adversários de Chávez.

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar