O lendário sertanista Sidney Possuelo, em contato pacífico (1986) nos tempos em que a o "I" de FUNAI, significava Índio. (*)

O Comando do Exército confirma: brasileiros só podem circular entre as 6h e as 18h em um trecho de cerca de 200km, que passa pela reserva indígena Waimiri Atroari, na rodovia Boa Vista (RR)-Manaus (AM), mesmo assim pagando pedágio. Nas demais doze horas, o trecho só é permitido a estrangeiros. O bloqueio dos índios - que não falam português, só a língua nativa, o inglês ou o francês - tem apoio da Funai e de ONGs estrangeiras.

 

Texto completo  

Que Brasil?
Também chegou ao Comando do Exército denúncia de que a bandeira do Brasil não é hasteada em algumas reservas indígenas; só as estrangeiras.


Terra de ninguém
Cerca de 70% do Estado de Roraima são constituído de reservas indígenas e, nelas, reinam absolutas dezenas de ONGs estrangeiras.


Nem aí
Agora o governo Lula está muito empenhado em reprimir a devastação da Amazônia, mas negligencia ocupação da região e a vigilância das fronteiras.

 

(*)O sertanista Sidney Possuelo foi exonerado do cargo de Coordenador Geral de Índios Isolados em janeiro de 2006 por fazer críticas ao posicionamento do presidente da Funai, Mércio Pereira Gomes, sobre as terras indígenas. Mércio afirmou à agência de notícias Reuters, no dia 12 de janeiro de 2006, que “É terra demais. Até agora, não há limites para suas reivindicações fundiárias, mas estamos chegando a um ponto em que o Supremo Tribunal Federal terá de definir um limite”.

Discordando de Mércio, Possuelo afirmou ao jornal O Estado de São Paulo, do dia 14 de janeiro: “já ouvi esse discurso de fazendeiro, grileiro, garimpeiro, madereiro. Mas de presidente da Funai é a primeira vez. É de assustar”.

Para Possuelo, “se a nossa autoridade maior diz que tem muita terra para o índio, ela está afirmando que a sociedade nacional e os destruidores têm razão”.

“É a mesma coisa que um ministro dizer que não defende a Justiça e a ministra do Meio Ambiente pedir a derrubada de árvores”, comparou o sertanista.

 

Nota do  Webmaster

Independente da opnião do sertanista, como pode-se jogar décadas de trabalho e risco de morte em florestas brasileiras no lixo em troca de uma opinião pessoal. Qual o real valor do amor pelo trabalho e da competência ?

Adicionar comentário