Medidas para tornar controle mais rigoroso são adiadas para julho 
O governo repassou R$ 2,8 bilhões dos cofres da União para custear organizações não governamentais e entidades sem fins lucrativos, mas admite que não consegue fiscalizar como essa cifra milionária vem sendo aplicada. O Ministério do Planejamento informou que medidas para tornar  mais rigoroso o controle das ONGs, que deveriam entrar em vigor este mês, tiveram de ser adiadas para julho por falta de pessoal capacitado. O presidente do Senado, Garibaldi Alves (PMDB/RN),  se reunirá esta semana com o presidente da Comissão de Orçamento da Casa e o relator-geral da proposta orçamentária na Câmara para impedir a aprovação de emendas parlamentares que beneficiam com milhões ONGs ligadas a eles mesmos ou a aliados, como mostrou O GLOBO ontem. O Globo-28/01/2008
Adicionar comentário