Polícia investiga invasão do Palácio Guanabara
O Globo - 23/09/2013  
Responsáveis pelo arrombamento da sede do governo estadual, em Laranjeiras, responderão criminalmente A polícia já está investigando os responsáveis pela invasão do Palácio Guanabara, em Laranjeiras, sede do governo estadual, na madrugada de ontem. O estado já anunciou que, assim que forem identificados, os invasores serão responsabilizados criminalmente.
Um vídeo postado no YouTube mostra um grupo, a maioria jovens, ocupando a área da varanda do prédio, que é tombado, e fazendo uma espécie de festa-protesto.

Segundo informações do governo estadual, havia cerca de 60 pessoas envolvidas no caso, e aproximadamente 15 teriam forçado o portão e entrado no palácio. Por meio de nota, o governo estadual repudiou o ato, informando que os invasores “ocuparam a escadaria da entrada principal do Palácio Guanabara e forçaram a entrada no prédio; conseguiram arrombar uma das portas e acessaram o Salão Nobre.” Ainda segundo a nota, eles teriam chegado por volta de meia-noite.

FLAGRANTE NA INTERNET
Parecia um bloco de carnaval, com pessoas tocando instrumentos, fantasiadas e com máscaras. Antes, o grupo tinha se reunido na Praça São Salvador, também em Laranjeiras, num baile contra a lei que proíbe o uso de máscaras durante manifestações políticas na cidade. De lá, seguiu para o palácio, que fica próximo.
De acordo com o governo, não houve depredações. As imagens no YouTube registram o momento em que o grupo chega, surpreendendo os policiais militares que faziam a vigilância.
Quatro PMs parecem atônitos com a situação e alguns tentam se comunicar, possivelmente com superiores, pelos celulares.

REFORÇO NEGOCIOU SAÍDA
O flagrante foi registrado e divulgado pela página do Coletivo Mariachi no Facebook. Apesar de o governo estadual afirmar que houve invasão do prédio, as imagens que estão na internet não mostram isso. Nelas, manifestantes se concentram na varanda, cantam marchinhas de carnaval, gritam palavras de ordem contra o governador Sérgio Cabral e protestam contra o desaparecimento do ajudante de pedreiro e morador da Rocinha Amarildo de Souza. Policiais do 2° BPM (Botafogo) e do Batalhão de Choque foram chamados para intervir e, ao chegarem ao palácio, negociaram a saída dos invasores, que, depois de permanecerem por cerca de 15 minutos no local, aceitaram se retirar, o que aconteceu sem que fosse necessário o uso de violência. Ao saírem da área do Palácio Guanabara, eles se deslocaram para a Rua Pinheiro Machado, onde fizeram uma espécie de baile de carnaval.

O caso está sendo investigado pela 9ª. DP (Catete). Peritos da Polícia Civil já estiveram no Palácio Guanabara para verificar possíveis danos ao patrimônio, mas nada foi encontrado.

Comments powered by CComment