Imprimir
Categoria: Diversos
Acessos: 2604
 Carlos Reis (assinante de Zero Hora)
Luto em Brasília. E o pior: o presidente Lula está proibido de chorar em público pela morte do companheiro Raúl Reyes, segundo em comando, líder militar das FARC, a guerrilha comunista maior e mais importante da América Latina. O braço político da revolução chama-se Foro de São Paulo, organização fundada por Lula e Fidel Castro e que reúne governos latino-americanos, partidos políticos de esquerda, e grupos guerrilheiros comunistas que vivem da exploração da cocaína, do seqüestro de personalidades ( empresários, políticos, americanos), e do contrabando de armas. A perda para ambos foi grande. Marco Aurélio top top Garcia (MAG) estava arrasado. Entrevistado pelo programa Atualidade da Rádio Gaúcha dia 03/03/2008, mal disfarçava a dor. Felizmente foi poupado de maiores constrangimentos pela apresentadora Ana Amélia Lemos, chefe da sucursal do jornal e da RBS em Brasília, que em momento algum mencionou a organização em que MAG é um dos principais líderes. A Ana Amélia, eu presumo, nada sabe do Foro de São Paulo.

Texto completo  

Mas as pessoas informadas da realidade latino-americana sabem da equivalência entre Raúl Reyes com MAG. Ela não é despropositada. Ambos são chefes diplomáticos das FARC e do Foro de São Paulo, respectivamente. Raúl Reyes é velho conhecido e camarada de MAG e Lula. Raúl escreveu uma carta a Lula cumprimentando-o pelo apoio e pela "vitória eleitoral" por duas vezes e seu nome aparece nas atas do Foro de São Paulo. Então ele era velho amigo, companheiro e colega de Lula, de MAG, e de toda a diplomacia brasileira comprometida com a revolução comunista latino-americana. Devemos respeitar a dor desta gente, mesmo que eles não respeitem a nossa.

É de se convir que o Foro de São Paulo tem sofrido revezes importantes, e não apenas por culpa de Álvaro Uribe, o presidente colombiano carrasco dos terroristas das FARC. Uribe é amado pelo povo colombiano, cujo clamor recentemente chegou ao mundo todo. A imprensa grande do Brasil omitiu o fato: milhares de pessoas saindo às ruas no mundo todo exigindo o fim da guerrilha assassina comunista colombiana. Por sua vez, Chàvez acumula derrotas pessoais há meses. Fidel Castro, a múmia assassina, renunciou à ditadura formal de Cuba. Só falta o Brasil saber das coisas. Se depender da RBS não saberá nunca, e o povo brasileiro continuará a ignorar o que é o Foro de São Paulo. 

É do conhecimento público, entretanto, que os novos líderes comunistas da América Latina estão todos envolvidos em maracutaias e crimes diversos contra os direitos humanos. Mas assim como aqui, também é lá. Onde está a Justiça para os companheiros? Cristina Kirchner se elegeu com dinheiro venezuelano. Um novo tiranete cresce no Paraguay, e é imitador confesso de Evo Morales, o lamentável índio cocalero boliviano a quem o Brasil cedeu a Petrobrás e sua dignidade. Rafael Correa, o líder equatoriano do Foro de São Paulo, agora posa de vítima, embora tenha grande dificuldade de explicar porque as FARC estavam sob sua proteção no Equador. 

Então, não existe "contencioso diplomático" algum, como quis significar o jornalismo desinformado e "neutro" da RBS. A palavra usada no Atualidade não se aplica a guerrilhas comunistas que seqüestram pessoas por anos, comercializam cocaína nos morros do Rio de Janeiro, e fomentam a guerra revolucionária na América Latina. O sonho da "Pátria Grande" é o sonho marxista-leninista em curso amplamente divulgado pela propaganda comunista e sequer foi mencionado por Ana Amélia Lemos. A ladainha audaciosa de Chàvez é a mesma dessa gente toda. Apenas ele, como desmiolado que é, tem coragem de vocalizar, e agora se sabe, auxiliar as FARC com 300 milhões de dólares. 

Ouvir Hugo Chàvez bravatear e ameaçar a Colômbia e seu povo livre é a prova mais clara de como o golpe foi duro para os comunas do Foro de São Paulo. Foi duro também para essa imprensa infantil. Então não surpreende nada ver os comunistas todos se juntarem em desagravo à morte do guerrilheiro Raúl Reyes. E o que a imprensa nanica moral faz? Torna Lula mediador do conflito! É de dar risada a mediação de Lula! Alguém na Colômbia pensa que Lula é neutro nesta história? Desde quando Lula é juiz de alguma coisa? O próprio Lula em defesa das FARC acusou Álvaro Uribe de ser "terrorista de Estado"! E quem mais se esforçou para libertar Olivério Medina, chefe do tráfico da cocaína no Brasil? Graças aos esforços do PSol, do PT, do PSDB e da diplomacia brasileira, Olivério Medina (amigão de Olivio Dutra, lembram?) foi devolvido à guerrilha da cocaína por conta de um artifício jurídico muito conhecido nosso e que dá mole para bandidos e propagandistas da revolução. Ou alguém conhece algum traficante das FARC preso no Brasil, além do Fernandinho Beira-Mar? E os 5 milhões de dólares da cocaína na campanha de Lula em 2002? Já esqueceram também que Antonio Palocci queria fundar uma representação diplomática das FARC em Ribeirão Preto? Ah, homens e mulheres de pouca memória! Saibam que é por conta desta promiscuidade toda que Lula não pode chorar em público a morte do aliado.