Autora: Maria Lima
O Globo - 05/12/2013
 
Representantes do grupo defendem black blocs e criticam prisão de ativista

-Brasília- Sem nenhum outro senador na audiência pública das comissões de Educação e Direitos Humanos do Senado para debater o papel do coletivo Fora do Eixo/Mídia Ninja na cena cultural brasileira, coube ao senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) mediar uma discussão entre os palestrantes, que reclamaram maior acesso averbas públicas, defenderam a ação dos black blocs e protestaram contra a condenação de Rafael Braga Vieira a cinco anos de prisão, por portar coquetéis molotov durante manifestação no Rio.

Acompanhado de cerca de 50 midiativistas (como se autodenominam), Pablo Capilé, do Fora do Eixo, criticou o enfoque:
— Tem que debater é o Estado opressor, que fecha os olhos ao genocídio da juventude negra da periferia, gerando a revolta. Black blocs não violentam o ser humano, quem violenta é o Estado.
As bancadas reservadas aos parlamentares ficaram vazias. A senadora Ana Rita (PT-ES) abriu a sessão e saiu logo após Randolfe chegar. Durante o debate, o senador Humberto Costa (PT-PE) abriu a porta, fez sinal de positivo e deu meia-volta. Ao final, Capilé pediu outra audiência com senadores, para discutir o projeto de lei Cultura Viva, em tramitação na Casa.

Comments powered by CComment