Denise Rothenburg - Correio Braziliense -  07/12

Uma decisão tomada esta semana pelo Tribunal de Contas da União (TCU) deixa o PSB com a faca e o queijo nas mãos para atormentar os irmãos Ferreira Gomes, via ex-ministro da Secretaria de Portos Leônidas Cristino. O tribunal considerou que houve favorecimento à empresa Estrutura Brasileira de Projetos (EBP) para realização de estudos de concessões de terminais portuários, além do pagamento de valores superiores à média praticada pelo mercado para ressarcimento do serviço. A relatora do caso é ninguém menos que a ministra Ana Arraes, mãe do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, pré-candidato a presidente da República.

“O TCU faz bem em analisar a EBP. Está em todos os grandes negócios do governo e não apenas na Secretaria de Portos”, diz o líder do PSB na Câmara, deputado Beto Albuquerque (RS). Como diz o ditado hoje em voga entre os políticos, “aos amigos, a lei; aos inimigos, o rigor da lei”. O diretor da empresa é Helcio Tokeshi, ex-secretário de Acompanhamento Econômico e conselheiro do ex-ministro da Fazenda, Antonio Palocci.

Suspense orçamentário

São remotas as chances de votação do Orçamento antes do Natal. Isso porque deputados e senadores querem esperar que a presidente Dilma Rousseff sancione a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). Ali, está definido o orçamento impositivo para as emendas parlamentares, com destinação de 50% dos recursos para a área da saúde. O prazo final para a sanção é 26 de dezembro.

Carreira solo

A troca de comando nas diretorias da Transpetro por seu presidente, Sérgio Machado, foi feita sem combinar com a maioria dos padrinhos. O único que manteve seus indicados intactos foi o ministro da Pesca, Marcelo Crivella.

Fase difícil I

O esporte preferido de grande parte dos deputados hoje é falar mal do presidente da Casa, Henrique Eduardo Alves. Dia desses, foram os representantes da bancada ruralista. “Esse Henrique é um palhaço. Não cumpriu nada do que prometeu à bancada ruralista”, comentou o deputado Abelardo Lupion numa roda. É o caldo de final de ano, engrossando rumo a 2014.

Fase difícil II

Parte do PMDB vai sair em defesa de Henrique Alves em relação às reclamações petistas. Alguns deputados do PT foram procurados para alertar o líder José Guimarães (PT-CE) de que, no caso de Natan Donadon — outro deputado presidiário —, Henrique Alves mandou logo lacrar o gabinete e convocar o suplente. Com José Genoino não está sendo assim. A avaliação dos peemedebistas é que Guimarães, por ser irmão de Genoino, está subindo um tom em suas críticas ao presidente da Casa.

Palanque solo/ Na cabeça dos governistas, ficou a impressão de que o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, e o senador Aécio Neves (PSDB-MG) não compareceram à festa de sorteio das chaves da Copa da Fifa para que, lá na frente, se for o caso, possam ficar livres para criticar o governo federal por eventuais falhas em aspectos como mobilidade urbana. Alguns políticos, entretanto, vibraram. Assim, a presidente brilhou sozinha no evento.

Na paz/ Depois de um período às turras, parece que a presidente Dilma Rousseff e a cúpula da Fifa serenaram os ânimos. Ela e Joseph Blatter tiveram uma conversa bastante afável, cercada de carinho e cordialidade. Melhor assim.

Torcida/ As autoridades brasileiras não conseguiram esconder a vibração quando a Inglaterra foi sorteada ontem para jogar em Manaus. Tudo o que o técnico Roy Hodgson não queria era ver seu time exposto ao clima amazônico, úmido e quente. E justamente contra a Itália.

Em alta/ Segunda-feira, Dia Internacional contra a Corrupção, a Controladoria-Geral da União vai premiar exemplos de boas práticas de gestão pública. O ministro do Turismo, Gastão Vieira (foto), será o único a subir no palco duas vezes, premiado nas duas categorias existentes — aprimoramento dos controles internos administrativos e promoção da transparência. Ao todo, foram mais de 47 ações do governo federal inscritas.

Comments powered by CComment