A socialista Michelle Bachelet foi eleita novamente presidente do Chile, para o período 2014-2018, após vencer neste domingo, no segundo turno das eleições nacionais, com 62,59% sobre 37,4% da candidata da direita, Evelyn Matthei - com 56% das mesas apuradas, que mostravam uma tendência irreversível, informou o Serviço Eleitoral do país. Bachelet, uma pediatra de 62 anos que se transformou na primeira mulher chilena a alcançar a presidência, em 2006, se tornou a primeira presidente reeleita depois de mais de 60 anos.

Os locais de votação do Chile começaram a fechar às 18h (19h de Brasília), num dia marcado por pouca afluência de eleitores, nas eleições para definir a nova presidente do país, entre a socialista Michelle Bachelet, e a candidata de direita, Evelyn Matthei. Após 10 horas de votação, as mais de 41 mil mesas habilitadas em 2,1 mil colégios eleitorais em todo o Chile davam lugar à contagem de votos. 

A adversária Evelyn Matthei já reconheceu a derrota. Bachelet esperava os resultados da eleição junto com sua equipe de campanha no comitê montado num hotel da emblemática avenida Alameda, no centro de Santiago. Nas proximidades do comitê foi montado, há algumas horas, um cenário para a previsível vitória. 

O dia foi marcado por uma baixa participação de eleitores, de acordo com as expectativas dos analistas, ante a um previsível triunfo de Bachelet, que no primeiro turno venceu com 46,6% dos votos contra Matthei, que obteve 25,1%. Muitos dos eleitores decidiram não votar e fazer suas compras, a 10 dias do Natal, segundo constatou a AFP. Espera-se que, neste domingo, menos de 6,6 milhões de eleitores tenham votado, dos 13 milhões, que foram às urnas no primeiro turno.

 

Comments powered by CComment