O livro "A Verdade Sufocada"- A história que a esquerda não quer que o Brasil conheça , do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, com prefácio do general Raymundo Negrão Torres, incomodou. O silêncio da imprensa foi revelador. Mas, apesar  do boicote da mídia, de editoras e da maioria das livrarias, o livro já está na sua quarta edição. Em suas 608 páginas desmistifica, destrói, desmonta e manda pelos ares, ponto por ponto, as mentiras que, há 40 anos, vêm sendo apresentadas à Nação brasileira a respeito da Revolução de 31 de Março de 1964 e os seus desdobramentos. O livro resgata a verdade de um período histórico totalmente distorcido por aqueles que hoje encobrem os seus reais desígnios de transformar o Brasil em um satélite do comunismo internacional, com a falácia de que lutaram contra uma ditadura militar para promover a liberdade e a democracia. A obra desfaz mitos, farsas e mentiras divulgadas pelos derrotados para manipular a opinião pública e para desacreditar e desmoralizar aqueles que os venceram. Acaba com o mito de que as Forças Armadas lutaram com seus tanques contra estudantes armados de estilingue e meninos inocentes. Trata-se de um alerta aos jovens para que não sejam usados. É um paralelo entre o passado recente de nossa História e os dias atuais.

Cel Ustra lança, em Curitiba, a 3ª edição revista e ampliada, do seu livro "A Verdade Sufocada".

 Um grupo de Oficiais da Reserva das Forças Armadas e Civis amigos do Coronel de Artilharia, da Reserva Remunerada, CARLOS ALBERTO BRILHANTE USTRA convida para o lançamento, em Curitiba, da 3ª Edição Revista e Ampliada de seu livro:

A VERDADE SUFOCADA

A história que a esquerda não quer que o Brasil conheça

a ser realizado, a partir das 12:00 h, do dia 10 de maio de 2007, na sede do Círculo Militar do Paraná, situado no Largo Bittencourt 187, Centro, Curitiba - PR.


 VÍTIMAS DO TERRORISMO NO BRASIL

Neste outubro de 2006, reverenciamos a todos os que, em outubros passados, durante a luta armada, tombaram pela fúria política de terroristas.

Os seus assassinos, sob a mentira de combater uma ditadura militar, na verdade queriam implantar uma ditadura comunista em nosso País. Para isso, atentaram contra o Brasil, desprezando os direitos humanos  e os princípios realmente democráticos.

A esses heróis o reconhecimento da Democracia e a garantia da nossa permanente vigilância, para que o sacrifício de suas vidas não tenha sido em vão:

Escolha no menu principal os ítens referentes as vítimas de terrorismo no Brasil



Livro a verdade sufocadaNós vencemos apesar do boicote da mídia, de editoras e da maioria das livrarias. Ao que parece, o livro incomodou. O silêncio da imprensa foi revelador. Temos enfrentado diversas dificuldades. Até ameaças de morte pela internet, em nossos endereços  e em alguns sites, têm sido postadas contra mim e minha família.

Mesmo assim, a primeira edição de 6000 exemplares esgotou-se em quatro meses e chegamos, segundo o Jornal do Brasil, ao terceiro lugar entre os livros mais vendidos no Brasil.

A partir de hoje já estamos com a 2ª edição Revista e Ampliada – mais 60 páginas – a disposição do leitor.


 

Coronel Ustra lança A verdade sufocada

Sem as prometidas manifestações contra seu autor, foi lançado, na noite de ontem, A verdade sufocada - A história que a esquerda não quer que o Brasil conheça. O livro, que já vendeu mais de 6 mil cópias sem a ajuda de um plano de marketing, tem o objetivo de mostrar a outra versão de uma história que foi deturpada ao longo dos anos e que merece ser esclarecida, diz o seu autor e coronel reformado do Exército Brasileiro, Carlos Alberto Brilhante Ustra.

Texto completo


 

CONVITE

 O CÍRCULO MILITAR DE FORTALEZ, A ASSOCIAÇÃO DOS OFICIAIS DA RESERVA E REFORMADOS DAS FORÇAS ARMADAS, A ASSOCIAÇÃO DOS EX-ALUNOS DO COLÉGIO MILITAR,  O GRUPO GUARARAPES CONVIDAM V.EXA./V.Sa. E OS AMIGOS DA DEMOCRACIA PARA O LANÇAMENTO DO livro “A VERDADE SUFOCADA – A HISTORIA QUE A ESQUERDA NÃO QUER QUE O BRASIL CONHEÇA” de autoria do Coronel CARLOS ALBERTO USTRA. 

LOCAL: CÍRCULO MILITAR DE FORTALEZA.
DATA:   18 DE SETEMBRO DE 2006.
HORÁRIO: 20 HORAS.
TRAJE: ESPORTE      


           

 Apesar das reações contrárias dos "democratas" Roberto Monte, do  Centro de Direitos Humanos e Memória Popular de  Natal (CDHMP), Aloisio Matias, Presidente Estadual de Direitos Humanos de Natal, e de alguns outros "defensores da liberdade de expressão e da democracia", o lançamento do livro A Verdade Sufocada - A história que a esquerda  não quer que o Brasil conheça - será feito !

Diario de Natal 10/09/2006
Carlos Alberto Brilhante Ustra (Foto) - Reporter: Marco Polo/DN
 
Gaúcho de Santa Maria, Carlos Alberto Brilhante Ustra, de 74 anos, além de comandar o DOI-Codi do 2º Exército de São Paulo durante o Governo Médici, foi chefe do curso de operações especiais da hoje extinta Escola de Informações do Exército. Desde major, trabalhou na Inteligência das Forças Armadas. Comandou, ainda, o Grupo de Artilharia de São Leopoldo. Dedicou-se ao serviço militar por 38 anos, entre 1949 e 1987, ano em que lançou seu primeiro livro, Rompendo o silêncio. Segundo ele, este trabalho foi produzido com a intenção de apenas responder ''à injúria, às calúnias, às mentiras e ao engodo de uma atriz'' (Beth Mendes, que o acusou de torturar um amigo seu ao vê-lo como adido militar no Uruguai). 
Diario de Natal 10/09/2006

 Militar apontado como participante de 502 torturas durante os quatro anos em que comandou o Destacamento de Operações de Informações - Centro de Operações de Defesa Interna (DOI-Codi), coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, lançará livro esta semana em Natal. A verdade sufocada (Editora Ser, 541 pág), nome da obra de subtítulo A história que a esquerda não quer que o Brasil conheça, foi lançado nacionalmente em abril passado e traz informações sobre a estrutura do órgão classificado pelo jornalista Ricardo Kotsho como ''sinistra sigla de repressão fora de controle''. O lançamento está marcado para o próximo dia 14 e será na AS Livros de Candelária - em galeria comercial próxima ao Natal Shopping.

 

 Diario de Natal 10/09/2006

A caixa de entrada de e-mails do presidente do CDHMP/RN, Roberto Monte, amanheceu a terça-feira da semana passada com uma mensagem em tom de solidariedade ao movimento contrário ao lançamento do livro do coronel Brilhante Ustra em Natal. Na época, pensava-se que a obra seria lançada no Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte (IHG/RN), após a desistência da ANL, e a mensagem era de autoria do dramaturgo Augusto Boal (Foto). O idealizador e diretor do Centro do Teatro do Oprimido (CTO), que, em 1971, partiu para o exílio - seu retorno definitivo ao Brasil só ocorreria em 1986, não se alongou e apenas pediu para que os ''amigos'' o mantivesse informado acerca do assunto.

Texto completo