Câmara faz patética e vexatória sessão solene em homenagem aos 50 anos do Jornal Nacional
Jornal da Cidade 
Sessão solene na Câmara dos Deputados realizada nesta terça-feira (3), em homenagem aos 50 anos do Jornal Nacional.
Plenário vazio, ausência de todos os integrantes do clã Marinho, numa clara manifestação de falta de respeito, de consideração, descaso e desprezo sem precedentes na história para com aquela casa legislativa.
Bilionários, eles não estão nem aí para o país...
Discursos vazios de puxa-sacos em visível desconforto.

G7 isola Macron sobre boicote ao Mercosul - Correio Braziliense 
Presidente francês conseguiu colocar a questão das queimadas na Amazônia em discussão no grupo que reúne as sete maiores economias do mundo, mas acabou voz isolada na proposta de boicote comercial ao bloco formado por Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai. A chanceler alemã, Angela Merkel, voltou a destacar que retaliações não ajudarão a resolver o problema dos incêndios e do desmatamento na floresta brasileira.
Angela Merkel diz que ligará para Bolsonaro... Macron não reage muito  bem!

 

Segue um trecho do perturbador livro do jornalista Leonardo Coutinho, Hugo Chávez, o espectro: Como o presidente venezuelano alimentou o narcotráfico, financiou o terrorismo e promoveu a desordem global:

"O general Valenzuela aproximou-se do presidente Evo Morales, que comparece todos os anos ao evento na instalação militar, e disse:

– Senhor presidente, o senhor não pode mais continuar usando a Força Aérea da Bolívia para suas sujeiras.

Rocha relembra que chegou a sentir um frio de congelar a espinha; ele jamais imaginara que seria testemunha de uma cena como aquela. Ele recorda que o presidente Morales se fez de desentendido e perguntou o que estava se passando. Diante da desfaçatez do interlocutor, o general Valenzuela não fez mais rodeios:

– O senhor precisa parar de transportar cocaína em nossos aviões.

Morales enrijeceu a face e repreendeu o militar.

– Este não é o momento e nem o local para tratar disso. Conversaremos em outro dia.

E como em um passe de mágica, a expressão de Morales derreteu, e um sorriso tomou conta de seu rosto. Em um contragolpe instantâneo, ele pegou a mão do militar que acabava de imputar-lhe o comando do tráfico de drogas e fez um anúncio.

– Todos, atenção! Aqui está o general Valenzuela. O próximo comandante da Força Aérea Boliviana!

(...)

Por volta das 22 horas daquele mesmo dia, Rocha recebeu uma ligação de colegas militares com uma notícia funesta. O general Valenzuela tinha sido encontrado morto em sua casa. A informação preliminar era de que o oficial havia morrido engasgado".

https://www.amazon.com.br/dp/B079XVR8HY/ref=dp-kindle-redirect?_encoding=UTF8&btkr=1

 Entrevista do ex- Comandante do Exército General Vilas Boas ao Estadão 

Olavo de Carvalho voltou a atacar os militares pelo Twitter. O sr. rebateu. Qual o tamanho do incômodo dos srs.?
Bolsonaro entendeu que trazer militares para trabalhar em setores do governo seria uma cooperação importante para o restabelecimento da capacidade de gestão e a busca de combate à corrupção. Isso não significa que as Forças Armadas estão participando do governo, mas trazendo consigo seus valores. Portanto, os militares exercem uma natural influência que contribui para a estabilidade do País e do governo. Talvez por isso, o sr. Olavo de Carvalho se sinta desprestigiado e queira disputar espaço com os militares, junto à Presidência da República. Isso não dá direito a ele de traçar comentários desairosos a toda uma classe profissional, que representa uma instituição. Desconheço os tipos de valores que animam o sr. Olavo de Carvalho a tecer tais comentários.

Juiz bloqueia R$ 1 bilhão da Vale para providências na fase posterior à tragédia 
Sede de uma fazendo foi invadida pela lava dos rejeitos da mina
Saulo Pereira Guimarães - O Globo -26/01/ 2019
 O juiz da Vara de Fazenda Pública de Belo Horizonte Renan Chaves Machado determinou na noite desta sexta-feira o bloqueio de R$ 1 bilhão pertencentes à Vale para resolução de problemas decorrentes do rompimento da barragem da empresa em Brumadinho, em Minas Gerais.
“Há um desastre humano e ambiental a exigir a destinação de recursos materiais para imediato e efetivo amparo às vítimas e redução das consequências”, escreveu o magistrado na decisão. Segundo ele, o fato de o desastre ter “grave repercussão ambiental e elevado número de vítimas, de alcance ainda desconhecido” e ser de responsabilidade da Vale justifica a medida

Subcategorias

The latest news from the Joomla! Team