por Percival Puggina. Artigo publicado em 07.12.2019

Quando leio a Lei de Abuso de Autoridade, recheada de subjetividade e desapreço à persecução penal, tenho, sempre, a impressão de “ouvir” o texto na voz de Renan Calheiros. É uma lei feita para inibir o trabalho de quem combate o crime. Aliás, o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal dão a impressão de não terem aprendido a lição das urnas e das ruas que clamam por um basta à impunidade.
A impunidade é um mal histórico entre nós. Notadamente quando os crimes são praticados pela elite, pelos de alta linhagem, pela nobreza. Era assim nas Ordenações Filipinas, que vigoraram de 1603 a 1831, mas provieram de uma cultura que influenciou negativamente durante quatro séculos a persecução penal no Brasil. Creio que em nenhum outro lugar do mundo se aplicou com tamanha largueza e se repete com tanta frequência a frase de Orwell em A Revolução dos Bichos: “Os animais são todos iguais, mas uns são mais iguais do que os outros”.

Portal Terra - 14 NOV 2019 
A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) emitiu nesta quarta-feira (13/11) uma advertência urgente ao Brasil diante de recentes ações dos poderes Legislativo e Judiciário que, segundo a entidade, ameaçam os avanços na luta contra a corrupção que tinham sido alcançados pelo país nos últimos anos.
3 desafios de Bolsonaro para criar o partido Aliança pelo Brasil
Grupo de Guaidó deixa Embaixada da Venezuela no DF após 12h

Resultado de imagem para Imagem de Toffoli e lulaAmanda  Almeida - O Globo -  5 de novembro de 2019, 
Toffoli precisa raciocinar (?) sobre a insanidade dessa mudança
Um grupo de senadores entregará, nesta terça-feira, uma carta ao presidente do Supremo, Dias Toffoli , e ao procurador-geral da República, Augusto Aras , em que se posiciona a favor da prisão depois de condenação em segunda instância . A Corte retomará a discussão sobre o assunto na quinta-feira. O documento já tem o apoio da maioria da Casa: foi assinado por 41 parlamentares.

Ontem à noite , uma jornalista  me perguntou qual era a repercussão , entre os militares, da decisão do STF, que derrubou a prisão em 2ª instância .
A seguir vai minha resposta . Podem divulgar . General Rocha Paiva.
Não tive nenhum contato. É preciso ver os desdobramentos, mas, se realmente atingir a Lava Jato no que ela já fez e ainda precisa fazer , será um desastre moral e político.
Será o triunfo da corrupção,o enterro da moralidade e o comprometimento do futuro do país. Será a vitória da velha e carcomida liderança fisiológica , patrimonialista e usurpadora , protegida por ministros do supremo  sem espírito republicano , sem revisão de que as autoridades com honestidade de propósitos se omitiram ou não tem poder , de fato para pressionar  os que usam a lei , de forma ilegítima , para manter os rumos da nação conforme seus escusos interesses.
General da Reserva  Luiz Eduardo Rocha Paiva

Nem a máquina de moer reputações impediu que Bolsonaro fizesse o que nenhum outro teve coragem
Jornal da Cidade -23/10/2019
Todos os outros presidentes sabiam da necessidade dessa reforma mas nenhum a levou a sério. Preferiam sempre empurrar para o próximo, ou simplesmente mentir que as contas públicas não sofreriam impacto.E há uma razão para isso: esse tipo de reforma é extremamente impopular. Ela afeta todos os brasileiros, faz todos pagarem pelos erros de administração de governantes passados. Um presidente que se disponha a fazê-la, vira alvo fácil de ataques de seus opositores.

Subcategorias

The latest news from the Joomla! Team